2019: um ano de resistência e esperança

2019: um ano de resistência e esperança

2019 foi um ano de ataques violentos e de grande resistência, mas terminamos com nossos pés. Cabe a nós reunir forças, intensificar nosso trabalho de organização de base e fortalecer a resistência até 2020.

Por Jessy Dayane *

Quando olho para onde estávamos em dezembro de 2018, acho que chegamos ao final de 2019 melhor do que nós eu pensei que nós faríamos. Embora tenhamos sofrido perdas, tivemos algumas vitórias importantes. A temporada de Natal do ano passado foi marcada por tensões nas famílias divididas durante as eleições. Ativistas de esquerda estavam se preparando para um cenário de aumento de detenções arbitrárias e da continência da prisão política de Lula. Achamos que estávamos enfrentando um ano sem mobilização e muito mais criminalização e isolamento da esquerda contra um governo formado por neofascistas.

O fato é que tivemos um ano em que o governo mostrou eficiência na implementação de seu programa econômico neoliberal, que conta com o apoio unânime das classes dominantes, como evidenciado pela aprovação do reformas de pensões. O aumento dos anos de contribuição e a idade mínima de aposentadoria, bem como o fim da aposentadoria por idade, serão desastrosos para os pobres, que, além de trabalharem duro, agora serão forçados a se aposentar sem receber o benefício.vai benefício totals. Outro tema dramático é o progresso de privatizações e a rendição do nosso soberania. Houve também novas reformas trabalhistasjuntamente com altas taxas de desemprego y Uma expansão brutal do setor informal.

Por outro lado, os ataques maciços contra as universidades públicas brasileiras geraram uma onda de oposição contra o governo. cortes educacionais. Essa importante mobilização nacional representou um sopro de frescura durante a primeira metade do ano. Ampliou com sucesso o diálogo entre a esquerda e a sociedade brasileira, tarefa fundamental em um período em que estamos na defensiva. Além disso, depois que milhões de pessoas saíram às ruas, o Ministro da Educação foi forçado a devolver todo o dinheiro que havia cortado do sistema e as universidades públicas bloquearam seu programa “Future-Se”, representando uma derrota para o governo federal.

Outro elemento importante a considerar é o queda rápida nos índices de aprovação do governo Bolsonaro. A frustração com o governo aumentou constantemente devido à deterioração da qualidade de vida dos pobres e da classe trabalhadora, escândalos políticos y desastres ambientais. Foi um ano de incêndios devastadores na Amazônia, tão grandes que a fumaça cobriu o céu em São Paulo, causando reações negativas ao redor do mundoe um derramamento de óleo maciço na costa nordeste Além disso, novos escândalos surgiram em 2019 conectando a família Bolsonaro ao assassinato de Marielle Franco, e quando Eduardo Bolsonaro ameaçado com novo Direito Institucional 5, houve uma grande reação negativa dos setores democráticos da sociedade.

Finalmente, chegamos ao final de 2019 com Lula gratuitamente, o que representa uma vitória para a classe trabalhadora e permite à esquerda cumprir duas tarefas importantes para o próximo período: aumentar o diálogo com a classe trabalhadora como um todo e unir-se à comunidade. Batalhas econômicas e políticas pela frente. É um tempo de descanso, passar as férias de Natal com amigos e familiares e celebrar o Ano Novo com uma chama de esperança. Foi um ano de ataques violentos e grande resistência, mas terminamos com nossos pés. Cabe a nós reunir forças, intensificar nosso trabalho de organização de base e fortalecer a resistência até 2020.

Relatório de Brian Mier para From the South sobre os protestos da Educação Nacional de 30 de maio

Jessy Dayane é ativista de Sergipe e membro da liderança nacional do movimento social Levante Popular de Juventude. Ela é ex-vice-presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes / União Nacional dos Estudantes) e atualmente está na Faculdade de Direito de São Paulo.

Este artigo apareceu originalmente em Brasil de Fato, foi traduzido por Brian Mier e pode ser visto em português original aqui.


Se você valoriza o trabalho que a Brasil Wire faz, ajude-nos a manter-se em funcionamento com uma doação. Nossa independência editorial depende do apoio de nossos leitores.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *