4 partidas da Copa do Mundo em 1 dia? O desafio de um repórter da AP

LUSAIL, Catar (AP) — Catar Copa Mundial é o mais compacto de todos os temposcom todos os oito estádios partindo da capital em um país menor que o estado americano de Connecticut e os dois estádios mais distantes apenas 41 milhas (66 quilômetros) de distância.

Isso levou a uma pergunta durante a fase de grupos do torneio: um torcedor pode realmente ir a todos os quatro jogos em um dia? Na segunda-feira, decidi descobrir.

PRIMEIRO JOGO – CAMARÕES VS SÉRVIA

Depois de beber dois cafés grandes, minha odisséia começou. Eram 11h22 e eu tinha mais de uma hora e meia para o primeiro jogo: Camarões x Sérvia começando às 13h no Al Janoub Stadium, localizado a cerca de 19 milhas (30 quilômetros) e 90 minutos de carro ao sul do meu hotel no centro de Doha.

Peguei o novo Metrô de Doha, gratuito para quem tem ingresso para a Copa do Mundo, até o estádio. O túnel subterrâneo me cuspiu para o brilhante deserto nos arredores da cidade. Estava tão quente (32 graus Celsius ou quase 90 graus Fahrenheit) que você entende por que este torneio teve que começar em novembro, outra novidade da Copa do Mundo. Seguranças com coletes neon nos conduziram rapidamente até os ônibus.

Apesar da grande multidão, foi um passeio tranquilo até os portões. “Estádio, por aqui!” os guardas cantaram em uníssono, um melodia que formou uma trilha sonora hipnótica a esta Copa do Mundo. Eram 12h35. O jogo começou cedo.

Quando Camarões marcou o primeiro gol, a torcida foi à loucura. Mas seu início rápido fracassou quando a Sérvia respondeu com dois gols. Em seguida, um terceiro. Camarões marcou pela segunda vez. Em seguida, um terceiro! Este não era um jogo normal. Eu estava fascinado. O jogo estava empatado, 3-3.

Mas tive uma escolha difícil. se eu quisesse fazer Gana x Coreia do Sul às 16h em Al Rayyan, 27 quilômetros (17 milhas) ao norte, ele teve que sair de lá. Velozes. Disparei aos 80 minutos, no momento em que o camaronês Georges-Kevin N’Koudou cobrava escanteio.

Havia apenas uma hora entre os jogos e o metrô para o Education City Stadium levava mais de duas horas inteiras. Não havia como ele chegar a tempo.

SEGUNDO JOGO – COREIA DO SUL VS GANA

Saí para a calçada e chamei um táxi. Os torcedores entupiram as estradas com o tráfego. Foram 40 minutos de ansiedade no carro. Quando cheguei ao Education City Stadium eram 15h51. Corri pela entrada de jornalistas enquanto torcedores coreanos e ganeses se acomodavam em seus assentos. Quando cheguei às arquibancadas, a contagem regressiva soou: “Três, dois, um!”

Os ganenses cantavam constantemente. Os torcedores coreanos vestidos de vermelho bateram tambores gigantes e pularam para cima e para baixo com lealdade inabalável, mesmo quando Gana marcou duas vezes.

A ação recomeçou no segundo tempo, quando a Coreia marcou duas cabeçadas consecutivas. Gana marcou o terceiro gol.

Por mais que eu quisesse me deixar levar pela cor e pelo barulho, ficava verificando o trânsito no meu celular. Aos 75 minutos, com Gana vencendo por 3 a 2, forcei-me a sair do estádio e corri para o metrô antes que ele se tornasse o gargalo que costuma ser depois dos jogos, sem nem saber quem ganhou.

Os ganenses enlouquecidos regozijando-se na estação me contaram tudo sobre o resultado final. O trem do metrô poderia ser uma boate. Música afrobeat tocava. Annan-Mettle Ebenezer, um segurança de Gana de 36 anos, começou a dançar enquanto seus amigos o aplaudiam.

“Fomos os melhores! Nossa força, nossos músculos!” ele gritou, emocionado com o momento de uma forma que você raramente vê fora da Copa do Mundo.

TERCEIRO JOGO – BRASIL VS SUÍÇA

Cheguei ao Estádio 974, localizado próximo ao Aeroporto Internacional de Hamad, em Doha, e batizado com o código telefônico internacional do Catar e os 974 contêineres que o compõem e serão desmontados após a Copa do Mundo. Eu tinha cronometrado isso bem, com 15 minutos para chegar ao meu lugar antes do início das 19h. Brasileiros retardatários em perucas amarelas e azuis correram para a entrada, seu entusiasmo palpável.

Ao contrário dos dois últimos, faltou emoção a este jogo. Depois de uma hora, nenhum gol havia sido marcado. O primeiro tento do Brasil foi anulado por impedimento, frustrando a torcida.

Ao minuto 75, pensei que não iria perder nada. Enquanto corria para fora do estádio e para a rua nos últimos minutos do jogo, ouvi a multidão explodir em histeria. Atrás de mim ecoou o rugido inconfundível de um gol da Copa do Mundo.

Brasil 1, Suíça 0.

QUARTO JOGO – PORTUGAL VS URUGUAI

Eu me senti arrasado por tê-lo perdido. Mas não havia tempo para arrependimentos. O Estádio Lusail, destino final para receber Portugal contra o Uruguai, ainda estava a 20 quilômetros (12 milhas) e uma hora de metrô.

No trem, cotovelos pressionados contra torsos de estranhos, cabeças pressionadas sob as axilas. Eu não era o único tentando fazer os dois jogos.

Rodrigo González Cejas, um advogado argentino de 42 anos que viaja de metrô, disse que não se importou em perder o gol do Brasil no último minuto. Era mais importante, disse ele, assistir ao máximo de jogos possível.

Ele disse que muitas vezes marcou três jogos por dia nesta Copa do Mundo, saindo nos minutos finais e correndo por sua vida para o próximo destino. Contei a ele sobre meu experimento e tentei entender por que ele se submeteu a uma rotina tão cansativa. “Eu amo futebol”, González Cejas respondeu simplesmente, depois saiu correndo do trem.

Eu estava exausto, meus pés se arrastando. De acordo com meu telefone, eu andei cerca de 15 quilômetros. Mas a visão de milhares e milhares de fãs entusiasmados de todo o mundo convergindo para o reluzente estádio me reviveu.

Com o pensamento de que não tinha para onde correr a seguir, além da minha cama de hotel muito depois da meia-noite, absorvi a atmosfera e fiquei até o final para assistir. Portugal venceu o Uruguai por 2 a 0 avançar para as oitavas de final.

A lição?

É possível assistir a quatro partidas da Copa do Mundo em um dia no Catar. Mas no futuro, acho que vou ficar com apenas um.

___

Cobertura AP da Copa do Mundo: https://apnews.com/hub/world-cup e https://twitter.com/AP_Sports

___

Siga Isabel DeBre no Twitter em www.twitter.com/isabeldebre.

Direitos autorais 2022 Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem permissão.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.