50 anos atrás, Janis Joplin se juntou ao Clube 27

Neste dia, há 50 anos, um dos vozes maiores e mais promissoras Faz Rock and roll: Janis Joplin. Uma overdose de heroína e álcool marcou o fim trágico da “Rainha da RochaComo o apelidaram carinhosamente. Hoje celebramos sua vida e o gigantesco legado musical que deixou para trás.

Nascida no Texas, Estados Unidos, Janis Joplin cresceu em uma família extremamente religiosa e conservadora, o que a privou de ouvir a música que realmente a estimulava. blues mim Rock and roll. Foi somente quando ele entrou na Universidade de Austin que ele finalmente foi capaz de explorar seu lado artístico. A ansiedade e a depressão que a acompanhava desde a infância não pararam. Porém, com essa nova etapa de sua vida, Janis se refugiou no álcool e em uma ampla gama de drogas para superar os problemas de autoestima que a atormentavam.

Esse novo modo de vida, embora altamente destrutivo, abriu as portas para um novo mundo para a jovem Janis que, após deixar a faculdade, finalmente se mudou para São Francisco, começou a trabalhar como cantora em um bar e freqüentava os mesmos espaços que vários poetas e músicos de geração beat (ou beatniks), que levavam uma vida boêmia e eram agentes ativos da contracultura americana. Foi neste meio que Janis viu a oportunidade de ascender como cantora e compositora e foi nesta altura que começou a gravar as suas primeiras canções.

Janis Joplin foi a terceira personalidade musical em integram o famoso “Clube dos 27”, composto de músicos que saíram muito cedo para o abuso de substâncias e suicídio. Brian Jones, dois Rolling Stones, Jimi Hendrix, Kurt Cobain mim Amy Winehouse são alguns dos músicos que também fazem parte deste grupo.

A ascensão à fama com Big Brother e a holding

Depois de três anos conturbados em São Francisco, marcados por várias tentativas de reabilitação e recaídas, Janis voltou à sua terra natal onde, entre consultas e internações, gravou sete canções acústicas que seriam relançadas em 1995 por James Gurley Sem disco Esta é Janis Joplin 1965.

Sua voz forte, com um sabor forte de blues chamou a atenção de várias bandas. Um foi Big Brother e a holding, uma banda psicodélica de San Francisco, que acabou convidando Janis para se juntar ao grupo como vocalista. De volta à Califórnia e com uma nova banda, foi em 1967 que a artista viu sua carreira dar um grande salto. Sua fama disparou especialmente após sua atuação em Festival pop de monterrey, um marco fundamental na contracultura americana, que marcou o início do “Verão do Amor”. Após o show, Janis e Big Brother acabaram assinando contrato com Columbia Records, uma das editoras americanas mais importantes.

A partir daí, não houve sinais de trégua na carreira de Janis, já que show após show reuniu mais fãs e seguidores de sua incrível voz. No entanto, o crescimento explosivo da gangue causou ainda mais danos a uma frágil Janis, cuja saúde mental e física estava em declínio. O ciclo vicioso do uso de drogas (já mais pesado, como a heroína, que se tornou um dos maiores vícios da cantora), reabilitação e recaídas prejudicou os relacionamentos amorosos e mais além, já que a agressão acabou sendo devastadora com a cantora. momentos, mesmo em shows.

A sua desempenho Em Woodstock, ela foi uma das pessoas que relatou sua saúde precária. O grande número de pessoas que compareceu ao festival causou várias falhas organizacionais e, após um atraso de 10 horas, Janis finalmente subiu ao palco. A heroína fora seu refúgio antes da apresentação, algo que enfraqueceu o show. Ainda assim é desempenho em Woodstock, ele entrou para a história com uma das apresentações mais impressionantes do festival.

Veja também

1970: Recuperação, recaída e ingresso no Clube dos 27

Em 1970, Janis decidiu dar um tempo da vida agitada que levava e viajou pelo Brasil. O objetivo era livrar-se do vício, relaxar e curtir o carnaval brasileiro. Lá ele conheceu David Niehaus, um beatnik pouco interessado em drogas e na vida pesada que a cantora vivia. O relacionamento deles durou pacificamente durante os dois meses que viajaram juntos pelo país.

Ao retornar aos Estados Unidos e com a intenção de dar continuidade ao relacionamento com David, Janis acabou tendo outra recaída que levou ao fim do relacionamento. Em uma espiral depressiva e autodestrutiva, a cantora continuou a se apresentar ao vivo com uma nova banda, Boogie Full Tilt Bande manter sua posição como uma figura pública ativa.

UMA 4 de outubro de 1970, as preocupações aumentaram depois que Janis não apareceu para a gravação da música “Buried Alive in the Blues”, “Enterrado vivo no Blues” em português. Uma overdose de heroína alimentada pelo consumo de álcool acabou tirando a vida da artista, encerrando abruptamente sua carreira em ascensão.

Ao ingressar no “Clube dos 27”, Janis deixou um legado gigante na música blues American, com quatro álbuns lançados, incluindo póstumo Pérolae vários registros de suas apresentações ao vivo. Além das realizações musicais, Janis Joplin deixou para trás uma miríade de pessoas que a adoravam e continuam a homenagear não só a sua música, mas também a bela pessoa que ela revelou ser apesar de todas as suas idiossincrasias.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *