63% dos pais vêem os agressores como o maior risco de fotos de crianças na web – 04/11/2020

63% dos pais vêem os agressores como o maior risco de fotos de crianças na web - 04/11/2020

Com a mudança de hábitos causada pela quarentena durante a nova pandemia de coronavírus, muitos pais podem começar a postar nas mídias sociais para manter as crianças ocupadas em casa. Além disso, a abordagem “remota” da Páscoa tende a aumentar a quantidade de fotos de família compartilhadas na Internet.

Por esse motivo, a empresa de cibersegurança Avast realizou uma pesquisa sobre “Shatenting”, prática que os pais têm de publicar fotos, vídeos e informações sobre seus filhos nas redes sociais. Os resultados indicaram que a maior preocupação dos pais está relacionada a agressores sexuais.

Segundo a pesquisa, que ouviu 514 pessoas de todas as regiões do país, 63% dos pais que publicam na Internet acreditam que o maior risco é que os agressores sexuais possam ver ou entrar em contato com crianças.

Mais: quando perguntados sobre os riscos associados à publicação de fotos de menores em redes sociais, 60% dos pais entrevistados afirmaram que uma das maiores é a possibilidade de que as imagens sejam compartilhadas além das conexões familiares e entrar nas mãos de estranhos.

A pesquisa da Avast também observa que 33% dos pais publicaram uma foto de seus filhos menores sem pedir permissão ou cobrir o rosto da criança. Outro ponto destacado pela empresa é que 40% dos pais brasileiros acreditam que seus filhos correm o risco de serem vítimas de cyberbullying, enquanto 27% dizem que algumas publicações podem embaraçar os menores no futuro.

Finalmente, o estudo indica que 34% dos pais consideram que o risco de publicar fotos de menores na Internet viola o direito de privacidade. Apenas 10% dos entrevistados acreditam que não há risco ao postar.

Pensando em proteger menores de idade nas redes sociais, André Munhoz, gerente da Avast no Brasil, sugere as seguintes boas práticas:

  • Ajuste e ajuste regularmente as configurações de privacidade, garantindo que apenas pessoas confiáveis ​​possam ver fotos e vídeos;
  • Sempre fique de olho nos seguidores que você ou seus filhos têm. Se é uma conta com um nome de usuário duvidoso, certamente é um bot, perseguidor ou abusador sexual;
  • Pense nas consequências do que você publica sobre seu filho. Essa foto ainda será divertida quando eu tiver 12 anos? Ou 17? Ou 35?
  • Configure um Alerta do Google com o nome do seu filho para garantir que apenas as informações que você deseja divulgar sobre ele estejam disponíveis;
  • Considere cobrir ou evitar mostrar o rosto do seu filho em fotos para proteger sua privacidade e identidade;
  • À medida que seu filho cresce, interesse-se no que ele está fazendo no universo on-line e obtenha o consentimento dele antes de postar suas fotos.

SIGA A INCLINAÇÃO NAS REDES SOCIAIS

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *