70 anos da TV brasileira: 4 curiosidades sobre a chegada da televisão no Ceará – Verso

A televisão brasileira termina nesta sexta-feira (18) 70 anos desde sua fundação de Paraíba Assis Chateubriand, também conhecido como Chatô. Para comemorar a data, o Diário do Nordeste resgata a história da mídia cearense. A primeira emissora cearense foi inaugurada aqui em 1960 na Capital, mas sua instalação começou dois anos antes.

Símbolo da modernidade

Um dos mais importantes meios de comunicação, a televisão chega a Fortaleza como um símbolo da modernidade em meio ao êxodo rural e à miséria da cidade, segundo a jornalista e pesquisadora Ana Quezado. Em sua dissertação de mestrado, Ana explorou as transformações ocasionadas pela chegada da mídia.

“A cidade que ganhou a televisão foi uma cidade que se dizia estar se modernizando. Foi considerado um elemento de grande transformação e desenvolvimento. Fortaleza recebeu o primeiro locutor do grupo Diários Associados, de Chateubriand, da TV Ceará. Começou com a Tupi em São Paulo e depois se expandiu para outros estados, demorou 10 anos para chegar aqui ”, explica Ana.

Programação ao vivo

Se hoje temos uma programação 24 horas e diversificada com programas e notícias, naquela época era mínima e totalmente vivo. As primeiras transmissões mesclavam elementos de cinema, teatro e rádio na projeção dos shows, mas eram cheios de restrições, já que não era possível movimentar a câmera, que pesava cerca de 70 kg. “Os atores tiveram que sair e entrar no enquadramento das cenas”, diz a pesquisadora.

Ana relata ainda que a chegada da televisão implicou com grande expectativa, mas também com muitas controvérsias. No início, foram mostradas cenas de beijos, o que gerou rebuliço na sociedade conservadora da época. Com isso, um jornal distribuído pela Igreja Católica passou a publicar artigos desmoralizantes da televisão.

Lenda:
Peça do acervo do Museu Jaguaribano de Aracati; O dispositivo foi comprado em 1963.

Foto:
Franlima Portela

Status do item

O advento da televisão também foi responsável por transformar a vida social do povo cearense. Atualmente, na maioria dos lares brasileiros existe pelo menos um aparelho, mas na primeira década a situação era diferente. O artigo era Muito caro, equivalente ao valor de um veículo modelo Beetle, portanto, a aquisição do dispositivo foi considerada como um poder de situação financeira.

“Quem quer que tivesse uma televisão, considerado uma pessoa rica. Durante a minha pesquisa eu morei com 12 idosos, ouvi eles contarem histórias de quando uma pessoa ia tirar uma foto de casamento, a foto foi tirada ao lado da televisão para mostrar essa importância ”.

‘Televizinho’

Além disso, a mídia foi responsável por criar o reunir a família por perto para acompanhar os horários. Não apenas família, mas vizinhos e outros conhecidos. O termo ‘televizinho’, utilizado pelo jornalista Gilmar de Carvalho, joga com essa característica.

“A chegada promoveu o que chamamos nova sociabilidade. Todos foram para a casa da pessoa que tinha televisão. Foi criado um ponto de encontro ”, explica Ana.


Você está interessado em receber mais conteúdo de entretenimento?



You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *