A batalha para impedir o desmatamento da Amazônia exposta no filme ‘El Territorio’

Inscreva-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

LONDRES, 1 de setembro (Reuters) – O cineasta Alex Pritz investiga o coração cada vez menor da Bacia Amazônica no documentário “The Territory”, que retrata os perigos que uma tribo indígena enfrenta para proteger sua herança em um momento crucial para a maior floresta tropical do mundo.

O cineasta americano que virou diretor segue membros da tribo Uru-Eu-Wau-Wau enquanto tentam impedir que fazendeiros e colonos tomem conta de suas terras ancestrais no estado de Rondônia.

As tribos “estão fazendo isso para defender a si mesmas e sua casa”, disse Pritz à Reuters em entrevista na quarta-feira.

Inscreva-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

“Mas também é muito importante que o resto de nós fora do Brasil reconheça que eles estão fazendo isso por nós também e que seu trabalho está ajudando a nos salvar dos piores efeitos de nossas próprias emissões neste planeta em aquecimento”.

A extração ilegal de madeira e a mineração na Amazônia brasileira aumentaram sob o presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro, que pressionou para permitir mais mineração e agricultura comercial para reduzir a pobreza, enquanto corta a fiscalização ambiental e desfinanciou a agência indígena Funai. consulte Mais informação

Ao realizar aquele que é seu primeiro longa-metragem documental, Pritz também conviveu com fazendeiros que sonham em construir seu próprio terreno.

“Eles se veem como esses pioneiros virtuosos que saem e transformam a natureza em propriedade privada”, disse ele.

“…Um dos colonos diz que o Brasil foi criado assim e todos os outros países também, e ele está certo. A maioria dos estados coloniais nasceu da expropriação de terras indígenas… e por isso parecia muito importante para todos nós tratar de entender isso e capturar essas pessoas nessas partes do mundo.

Os ataques aos indígenas do Brasil e as invasões de suas terras por garimpeiros e madeireiros ilegais, principalmente na Amazônia, aumentaram acentuadamente em 2021, agravando uma situação já “aterrorizante”, disse no mês passado o Conselho Indígena Missionário da Igreja Católica (Cimi). consulte Mais informação

Ativistas ambientais também estão na linha de fogo.

Em junho, o jornalista britânico Dom Phillips e o especialista indígena Bruno Pereira foram mortos durante uma viagem de investigação a uma parte remota da Amazônia invadida por pescadores ilegais, madeireiros e garimpeiros. consulte Mais informação

“A situação, especialmente para os indígenas, está piorando”, disse Pritz.

“The Territory” estreia nos cinemas do Reino Unido na sexta-feira.

Inscreva-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Informações de Marie-Louise Gumuchian; editado por John Stonestreet

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.