A campeã olímpica Mari retorna ao jogo

Rio de Janeiro, Brasil, 5 de novembro de 2020 – Depois de mais de três anos fora das quadras, a estrela do vôlei Marianne ‘Mari’ Steinbrecher está pronta para seu retorno. O veterano de 37 anos ingressou no Fluminense na temporada de clubes 2020-2021 e tem sua presença marcada para a próxima edição da Superliga Brasileira.

Mari, que pode jogar como atacante ou adversária, jogou profissionalmente pela última vez durante a temporada 2016-2017 de clubes, quando se vestiu para o Sesi Vôlei Bauru, no Brasil, terminando em quinto lugar na Superliga e em terceiro no Campeonato Paulista.

A campeã olímpica de Pequim em 2008 passou a maior parte do ano passado trabalhando na transição para o vôlei de praia e se juntou à ex-parceira do vôlei Paula Pequeno. Mas depois de apenas dois torneios no Circuito Brasileiro, ele decidiu voltar ao jogo indoor depois que Paula ingressou na Taiana Lima.

“Já conversei com o Fluminense algumas vezes e estou feliz que dessa vez deu certo”, comentou Mari. “Gosto muito do clube e do Hylmer (Dias, treinador). Acho que podemos ser uma surpresa na Super League. O elenco tem uma boa mistura de jogadores jovens e veteranos e essa é normalmente uma receita para o sucesso. “

Mari teve uma breve experiência no vôlei de praia fazendo dupla com Paula Pequeno (Foto: Wander Roberto / Inovafoto / CBV).

Mari tem uma longa e histórica carreira na Seleção Brasileira, representando seu país de 2004, quando fez sua estreia olímpica nos Jogos de Atenas, até 2012. Ela levou os sul-americanos a quatro vitórias no Grande Prêmio Mundial de Voleibol da FIVB, e ela foi eleita a jogadora mais valiosa do torneio em 2008. Dois anos antes, ela ganhou a medalha de prata no Campeonato Mundial de Voleibol da FIVB.

Sua carreira no clube viu a rebatedora de 1,89 m de altura jogar por alguns dos clubes brasileiros mais respeitados, incluindo SESC, Osasco Audax e Dentil Praia Clube. Ele ganhou quatro títulos da Super League. Ele também passou alguns anos no exterior, apresentando-se para times da Itália, onde conquistou um título nacional, Turquia e Indonésia.

Com o Fluminense, Mari vai trazer experiência para um elenco relativamente jovem, mas também jogará ao lado de veteranas como as atacantes Dayse Figueiredo e Fernanda Tomé e uma outra atleta olímpica na capitã Julieta Lazcano.

“Estamos muito animados com a chegada dele”, acrescentou Dias. “Ela é uma jogadora fantástica, campeã olímpica e vai trazer muito para o nosso time. Esperamos que ela nos ajude imensamente enquanto buscamos nossos objetivos nesta temporada. “

O Fluminense dá início à campanha da Superliga nesta terça-feira, dia 10, contra o São Paulo Barueri. Devido à sua longa inatividade, é improvável que Mari jogue imediatamente.

Mais vôlei do Brasil:

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *