A cápsula contendo fragmentos do asteróide Ryugu retorna à Terra

Neste sábado (5), um brilho tomou conta do céu australiano. O que estava se aproximando da Terra era uma cápsula de 16 quilos ejetada pela espaçonave Hayabusa 2, cuja missão é coletar rochas e poeira dos asteróides. O módulo, voando a 11 km / s, teve seu pára-quedas ativado e pousou com sucesso em uma região próxima à cidade de Woomera, no sul da Austrália. Ainda não foi aberto, mas deve conter pedaços do asteróide Ryugu dentro.

A missão, organizada pela Japan Aerospace Exploration Agency (JAXA), tem como primeiro objetivo o Ryugu por se tratar de rochas extremamente antigas, que devem remontar à formação do Sistema Solar. Portanto, o material orgânico analisado na amostra pode contar uma história de 4,6 bilhões de anos, sobre o que era no início de tudo. Além disso, será possível analisar a influência da radiação cósmica sobre esses objetos nas amostras.

Sentar e esperar por um pedaço dessa queda do céu não seria uma opção viável. As rochas que compõem o Ryagu são extremamente frágeis e porosas. Os pesquisadores explicam que o asteróide não poderia cruzar a atmosfera da Terra como meteoros, pois acabaria por queimar e, conseqüentemente, se desintegrar no processo. Para se ter uma ideia, a cápsula pode ter atingido a temperatura de 3000 ºC. No vídeo a seguir, você pode verificar sua entrada no Earth:

Hayabusa 2 foi lançado ao espaço em 2014, mas só atingiu a órbita do asteroide Ryugu em 2018. A partir daí, trabalhou na coleta de amostras, até mesmo lançando projéteis para abrir crateras no corpo celeste e recuperar rochas ainda mais bem preservadas. O plano era trazer 100 mg de material para a Terra, mas o valor deve ser confirmado quando o módulo for aberto.

Ao cair, a sonda enviou sinais com informações sobre sua posição. Assim, um helicóptero equipado para captar o sinal poderá localizar e recolher o equipamento. Ainda na Austrália, o módulo foi levado para uma “instalação de inspeção rápida”, onde cientistas coletaram os gases de dentro do recipiente para uma primeira análise.

  • Nesta manhã (7), a cápsula embarcou de avião para o Japão, que deve chegar amanhã (8) ao aeroporto de Haneda. Em seguida, será transportado para a JAXA, onde a amostra será analisada e armazenada. Outros países, como o Reino Unido, também terão acesso ao material para pesquisas futuras.

    O trabalho de Hayabusa 2 não termina aqui. Após ejetar a cápsula com a amostra, a espaçonave reiniciou seus motores para uma nova missão. Agora, espera-se que alcance o asteróide KY26 e retorne à Terra com novos materiais em 2031.

    Esta não é uma missão pioneira. A própria JAXA já trouxe amostras do asteróide Itokawa em 2010, durante a missão Hayabusa. A missão europeia Rosetta também trouxe de volta rochas do Cometa 67P em 2016. A próxima a conseguir esse feito será a NASA, que este ano coletou amostras do asteroide Bennu com a ajuda da sonda Osiris-rex, que deve retornar ao planeta em 2023.

    Continue após o anúncio

  • You May Also Like

    About the Author: Gabriela Cerqueira

    "Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *