A China se torna o terceiro país a trazer rochas lunares para a Terra, o primeiro desde 1976

Representação do rover lunar da missão chinesa Chang’e-5
Foto: Reprodução / CCTV

Na madrugada de Pequim na manhã de quinta-feira (17), a missão não tripulada Chang’e-5 do país voltou à Terra com amostras do solo lunar, segundo a mídia estatal chinesa Xinhua.

Assim, a China se tornou o terceiro país do mundo a coletar rochas lunares com sucesso.

As amostras foram recuperadas de uma área da lua até então não visitada e também são as primeiras amostras a serem coletadas em qualquer país desde 1976.

Leia também:
Plantar árvores já é insuficiente para retirar o dióxido de carbono da atmosfera

Com o GPS, ovos falsos de tartaruga revelam rotas ilegais de comércio de animais

A cápsula de retorno pousou em Siziwang Banner, que fica ao norte da Região Autônoma da Mongólia Interior da China, pouco antes das 2h, horário de Pequim, na quinta-feira, de acordo com a Administração Espacial Nacional da China (CNSA).

A sonda, em homenagem à antiga deusa chinesa da lua, decolou pela primeira vez do local de lançamento da espaçonave Wenchang em Hainan em 24 de novembro.

Amostras dessa região podem ajudar os cientistas a entender mais sobre as origens e fundações da lua e estabelecer as bases para missões de recuperação de amostras mais complexas no futuro, potencialmente em outros planetas.

Depois que a cápsula devolvida pousar na Terra, ela voará para Pequim, onde a cápsula será aberta e as amostras estarão prontas para análise e estudo, de acordo com a agência de notícias estatal chinesa Xinhua. A China também disponibilizará algumas das amostras a cientistas de outros países, disse Pei Zhaoyu, vice-diretor do CNSA.

Cientistas chineses já estão fazendo planos para uma futura exploração lunar, disse Pei, incluindo um projeto para construir uma estação de pesquisa científica na lua.

“Esperamos cooperar com outros países para construir a estação lunar de pesquisa científica internacional, que poderia fornecer uma plataforma compartilhada para a exploração científica lunar e experimentos tecnológicos”, disse Pei, de acordo com a Xinhua.

A conquista da China segue os Estados Unidos e a União Soviética, que coletaram amostras lunares décadas atrás.

No programa Apollo, que primeiro colocou o homem na Lua, os Estados Unidos enviaram 12 astronautas em seis voos de 1969 a 1972, trazendo de volta 382 kg (842 libras) de rochas e terra.

A União Soviética implantou três missões de retorno de amostras robóticas bem-sucedidas na década de 1970. A última, Luna 24, recuperou 170,1 gramas (6 onças) de amostras em 1976 do Mare Crisium, ou “Mar da Crise”.

You May Also Like

About the Author: Gabriela Cerqueira

"Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *