A expansão da rotação frustra os drivers de aplicativos, afetados pela baixa demanda – 07/05/2020

A expansão da rotação frustra os drivers de aplicativos, afetados pela baixa demanda - 07/05/2020

Um expansão da rotação em São Paulo Não gostei dos controladores de aplicativos Fazendo menos corridas devido a medidas de isolamento social, a categoria lamenta ter sido incluída na medida que, a partir de segunda-feira (11), fará carros circularem todos os dias, na cidade de São Paulo, de acordo com o número da placa final.

Como pessoas que possuem carros comuns, qualquer pessoa que trabalhe como motorista particular para Uber, 99, Cabify e similares terá que seguir a determinação da cidade. Isentos de rotação normal, os táxis podem circular todos os dias da semana.

“O prefeito tomou essa medida que magoa quem já está gravemente ferido”, disse Eduardo Lima de Souza, presidente da Amasp (Associação dos Controladores de Aplicação de São Paulo).

Segundo Souza, há uma mobilização da categoria para reverter a situação, sob o argumento de que o serviço prestado por elas é considerado essencial.

Ele também diz que uma parte significativa da demanda atual corresponde a levar pacientes, médicos e profissionais de saúde a hospitais.

“Essa situação prejudicará os motoristas do aplicativo e os agentes médicos e de saúde. Uma ligação que leva cinco minutos para o veículo chegar à porta leva entre 10 e 15 minutos”, analisou.

Souza considera que a iniciativa do município é “importante” e não se opõe necessariamente à ideia de ampliar o rodízio, mas defendeu que os motoristas deveriam estar isentos de fazer seu trabalho.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) justificou a medida necessária para a cidade “para evitar ter que promulgar uma confinamento” na cidade.

Os aplicativos guiarão os drivers

Cientes da decisão da cidade, os aplicativos 99 e Cabify disseram que buscarão orientar os motoristas sobre como seguir as novas regras.

Cabify disse que, depois de ouvir a ordem, “está desenvolvendo projetos com parceiros que visam segurança financeira e proteção ao motorista”. A empresa também lançou um serviço de entrega de objetos, no qual não há contato físico e são tomadas precauções sanitárias.

99 afirmou que “a saúde e a segurança dos motoristas e passageiros são uma prioridade para a empresa” e que adotou medidas como a doação de 60.000 corridas para o transporte de profissionais de saúde municipais em São Paulo. O valor dessas corridas é inteiramente para os pilotos.

Inclinação entrou em contato com a Uber e a cidade de São Paulo, mas não recebeu resposta até a publicação desta notícia.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.