A Força-Tarefa para Coronavírus da Casa Branca apoia a restauração de viagens de entrada do Brasil, Reino Unido e Europa, fontes dizem

O presidente Donald Trump fala no Rose Garden da Casa Branca, sexta-feira, 13 de novembro de 2020, em Washington.

Evan Vucci | AP

A Força-Tarefa do Coronavírus da Casa Branca recomendou ao presidente Donald Trump que os Estados Unidos passassem a permitir a entrada no país de viajantes do Brasil, do Reino Unido e dos 27 países da União Européia, segundo duas autoridades envolvidas nas discussões.

Se Trump aprovar a proposta de política, ele reverterá as proibições de viagens de entrada para aliados dos EUA implementadas no início da pandemia, conforme o vírus se espalhou para o exterior. As viagens da China e do Irã, dois dos primeiros focos do vírus e cujas viagens foram restritas em janeiro e fevereiro, não seriam relaxadas, segundo essas autoridades.

A força-tarefa não foi unânime em sua recomendação, que foi enviada ao presidente antes do feriado de Ação de Graças. Fontes disseram que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças se opõem fortemente à reabertura de viagens como imprudente, especialmente porque a liderança da agência sinalizou para o público americano que viagens domésticas durante as férias não eram seguras.

A política, conforme proposta, não garantiria a entrada de viajantes americanos nesses mesmos países, enfurecendo alguns dos assessores de Trump, que argumentam que vai contra o mantra do governo “América primeiro”. Mas ainda existe um desacordo significativo entre as nações e blocos sobre quais protocolos são necessários para manter a transmissão do vírus sob controle, e as duas autoridades que falaram à CNBC disseram que pode haver desacordo entre as administrações que entram e saem, complicando ainda mais as negociações. conversas.

Nos Estados Unidos, a força-tarefa concordou que as autoridades locais, como aeroportos, governadores e prefeitos individuais, seriam responsáveis ​​pelos testes necessários e protocolo de quarentena para viajantes internacionais uma vez que pousassem, para evitar a criação de um regime regulatório federal que sobreviveria. a pandemia.

A Casa Branca não respondeu a um pedido de comentário sobre a posição do processo político e quando Trump poderia implementá-lo. As duas fontes envolvidas na discussão disseram que, se aprovado, será anunciado antes de Trump deixar o cargo, mas o vírus em alta com a aproximação do feriado desafiaria qualquer anúncio antes disso.

A Reuters primeiro relatou a consideração de suspender as restrições a viagens. O Wall Street Journal informou em outubro que as autoridades estavam discutindo uma abertura limitada do corredor de viagens entre Nova York e Londres, que entraria em vigor antes das férias.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *