A marca de beleza Rihanna chega à Sephora e a loja é criticada no Twitter

Esperei meses, o marca de cuidados com a pele Fenty Beauty, liderado pela cantora Rihanna, chegou em solo brasileiro nesta terça-feira (18/08).

Embora muita gente tenha comemorado a boa notícia, principalmente pelos 50 tons básicos que a empresa de cosméticos oferece, uma série de postagens no Twitter alertava sobre a falta de inclusão de influenciadores negros na publicações itens promocionais do lançamento, promovidos pela loja Sephora, que vende Fenty Beauty no Brasil.

0

UMA Sephora foi criticado pela ação de divulgação em linha da marca em vários publicações.

0

“A Sephora fez o disfarce e não concordou em chamar apenas brancos para falar sobre a chegada de Fenty Beauty ao Brasil. Uma marca de beleza que tem uma proposta muito diferente das marcas com as quais a Sephora está acostumada. Acordado! ”Escreveu a ativista Erika Hilton.

Veja as repercussões:

O debate também chegou ao Instagram. A página Bonita de Pelé, especializada em beleza, questionou a falta de criadores negros:

Veja esta postagem no Instagram

O assunto do dia é a chegada de @fentybeauty ao @sephorabrasil. A marca Rihanna, que revolucionou a dinâmica do mercado global de maquiagem, finalmente chega aqui, trazendo seu “Efeito Fenty”, que promove e provoca movimentos na indústria da beleza através de uma extensa cartela de cores que inclui uma ampla espectro. com tons de pele e campanhas diferenciadas, mostrando todas as facetas da beleza, principalmente para as mulheres negras. ㅤ O fato de a Fenty Beauty chegar ao Brasil com sua embalagem completa já é um grande marco para as marcas internacionais que chegam ao nosso país, que na maioria das vezes chegam com embalagens reduzidas que não contemplam a variedade e diversidade da pele Brasileiro. E também para marcas nacionais que devem evoluir para acompanhar esta chegada, já que muitas vezes limitam seus produtos para a pele como corretores, bases, cremes CC a tons predominantemente brancos e claros. “A chegada de uma marca de mulher negra em um dos países mais negros fora da África é motivo de comemoração”, observa nosso colunista @dandarapagu. ㅤ Porém, o que hoje chama a atenção na internet não é o poder da Fenty, mas o casting da marca no Brasil, que, ao contrário de suas propostas no exterior, era formada principalmente por influenciadores brancos. Mesmo com artistas negros e influenciadores como Ludmilla, Preta Gil, Thelminha e Magá Moura, que adoramos ver falando sobre o lançamento, hoje a internet acordou questionando o fato de tantos nomes conhecidos e de extrema relevância no cenário da beleza nacional foram deixados de fora. “Um momento que serviria para dar voz a representantes da beleza negra está sendo negado”, destaca Dandara, “se é uma marca que se destaca justamente por dar visibilidade e voz a tantos, porque a envia a todos que já encontram sua cor” . alguma outra marca? “ㅤ A discussão sobre a falta de criadores de conteúdo de beleza negra na campanha de estreia da marca no Brasil começou cedo no Twitter. Na rede social vários influenciadores que já tinham um histórico de admiração e uso da marca em suas redes apontou a falta desses nomes na campanha (continua nos comentários)

Uma postagem compartilhada por pele bonita (@bonitadepele) em

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *