A seleção espanhola enfrenta uma vitória rápida que não acontecia desde 2002

UMA Espanha não passou no empate na Suíça e, a exemplo do que aconteceu na primeira edição da Liga das Nações, vai jogar a Final Four na rodada final, forçada a vencer a Alemanha, nesta terça-feira (17), em Sevilha, para não ficar com duas decepções consecutivas no torneio.

Para já, a irregularidade da equipa comandada por Luís Enrique igualou-o a uma marca negativa que não sofria desde 2002, quando a equipa ficou três jogos consecutivos sem vencer pela última vez.

Roja, que liderou o Grupo 4 após vencer a Suíça, entrou em uma sequência decepcionante com a derrota inesperada na Ucrânia. E, a partir daí, com uma equipe renovada e com visão de futuro, empatou dois empates.

A primeira aconteceu no amistoso em Amsterdã contra a seleção holandesa e a segunda, neste sábado (14), no Basileia contra a Suíça, que não só tirou a seleção da primeira posição do grupo, mas também levantou dúvidas sobre o ambiente do vestiário.

Desde o verão de 2002, a Espanha não ficou três jogos sem vencer. Na época, sob o comando de José Antonio Camacho, o time empatou dois jogos na Copa do Mundo (os oitavos-de-final contra a Irlanda, vencendo nos pênaltis, e o quarto contra a Coréia do Sul, eliminado nos pênaltis).

Após a renúncia de Camacho, Iñaki Sáez empatou com a Hungria em 21 de agosto, somando o terceiro jogo sem vencer.

A renovação da Espanha começou após a sua eliminação do Euro 2016, após a despedida de Vicente Del Bosque. O período com Julen Lopetegui ofereceu bons resultados e esperanças, mas sua saída, às vésperas da Copa do Mundo 2018, interrompeu os planos da federação, que, após o fracasso de Fernando Hierro na Copa, optou por Luis Enrique.

O técnico ainda estava fora do comando da equipe devido ao adoecimento e morte de sua filha e, posteriormente, voltou com a separação de seu ex-ajudante Robert Moreno, que ocupou o cargo durante sua ausência.

Os resultados, com novos jogadores e evidente rejuvenescimento, não impressionam. Após 17 jogos como treinador, Luis Enrique soma 10 vitórias, quatro empates e três derrotas, acumulando um menor percentual de vitórias (58,8%) desde Javier Clemente (58,1%), sem contar o interino Hierro.

O treinador basco, porém, que comandou o Fury entre 1992 e 1998, esteve no banco em 62 jogos.

A Espanha tem uma final contra a Alemanha na próxima terça-feira se quiser avançar para a final da Liga das Nações. Além disso, evitaria quatro jogos sem vencer, feito que não acontecia desde 1991, quando, entre janeiro e abril, com Luis Suárez na frente, empatou com Portugal antes de perder para França, Hungria e Romênia.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *