A tempestade continua depois que o “antiético” Jorge Jesús cobiça o cargo de Paulo Sousa no Flamengo, enquanto Vítor Pereira lidera no Brasileirão

Ter quatro treinadores portugueses no comando de alguns dos maiores clubes do Brasil para a campanha de 2022 sempre foi um passeio divertido de seguir. No entanto, foi um treinador português que está desempregado -Jorge Jesus- que fez muitas manchetes na última semana.

A declaração aberta de interesse de Jesus em retornar ao seu ex-clube Flamengo, onde atualmente dirige Paulo Sousa, causou grande polêmica e críticas extremas ao veterano técnico. Enquanto isso, após cinco rodadas de ação no Campeonato Brasileiro, o Corinthians de Vítor Pereira é o primeiro a marcar o ritmo.

A nova temporada começou no mês passado com um notável quarteto de treinadores de Portugal. Abel Ferreira continuou no Palmeiras depois de conquistar títulos consecutivos da Copa Libertadores, e foi acompanhado por Paulo Sousa no Flamengo, Vítor Pereira no Corinthians e Luís Castro, que assumiu o recém-promovido Botafogo.

A tendência dos treinadores portugueses no país, que também viu Jesualdo Ferreira e Ricardo Sá Pinto se mostrarem no Brasil, foi sem dúvida inspirada nas conquistas de Jorge Jesus em 2019. O ex-técnico de Benfica, Braga e Sporting levou o Flamengo a um incrível Brasileirão e Copa Libertadores dobram antes de sair depois de um ano para voltar a Lisboa com o Benfica.

Artigo relacionado: Jorge Jesus: O estrangeiro que conquistou o Brasil

Jesus causa uma tempestade

Jesus, agora um agente livre, causou alvoroço no início deste mês quando discutiu a possibilidade de voltar como treinador no Brasil. Já uma lenda no clube, seu nome foi cantado no Maracanã durante a temporada 2020 e muitos torcedores ficaram desapontados quando Sousa foi entregue às rédeas no momento em que Jesus deixou o Benfica pela segunda vez.

Os primeiros passos de Sousa no Flamengo não foram nada confortáveis. Depois de deixar o emprego na seleção polonesa para viajar ao Rio de Janeiro em janeiro, Sousa perdeu três finais no espaço de poucas semanas antes da nova campanha do campeonato. flamingo sentado 14a tendo conquistado apenas cinco pontos em seus cinco jogos no Brasileirão.

As especulações sobre um possível retorno de Jorge Jesús irritaram Sousa em abril, mas a situação tomou outro rumo na semana passada quando Jesús declarou abertamente seu interesse em seu antigo emprego. Jesus conversou com o jornalista do UOL Esporte, Renato Mauricio Prado, após o empate por 2 a 2 do Flamengo na Copa Libertadores, no Talleres, na Argentina, e foi sincero sobre seus planos para o futuro.

“Quero voltar [to Flamengo] sim”, disse Jesus. “Mas não depende só de mim. Posso esperar até 20 de maio. Depois disso, tenho que decidir minha vida.

“Essa equipe ainda me toca. Incomoda-me vê-los em apuros. Tenho certeza de que, se tivesse continuado, teríamos alcançado uma longa hegemonia aqui. Estávamos muito à frente dos outros clubes. Outras ofertas do Brasil? Só estou interessado em treinar o Flamengo no Brasil. Bastava o que sofri em Portugal por ir para o Sporting”.

As palavras de Jesus causaram comoção no Brasil, dada a precariedade do status de Sousa. O Flamengo perdeu o próximo jogo por 1 a 0 para o Botafogo de Luis Castro em um clássico do Rio de Janeiro, e acredita-se que Sousa tenha recebido mensagens de apoio de nomes como José Mourinho e funcionários do Benfica, depois que sua posição foi prejudicada. .

“Em relação ao Jorge Jesús, é um treinador que respeito”, respondeu Sousa. “Respeito a história do Flamengo, respeito a importância da história e o que Jorge foi no Flamengo em 2019. Mas também tem que respeitar Paulo Carpegiani, que conquistou o título mais importante da história do clube, que é a Copa do Mundo. Clubes”. acrescentou, referindo-se ao grande troféu que Jesus não conseguiu conquistar no Flamengo.

“Só peço a Deus que abençoe ele e sua família. E que você, muito sinceramente, tenha saúde e paz, principalmente consigo mesmo. E sucesso.”

“Devia dar desculpas aos adeptos do Benfica”

Outros não foram tão educados, como o agente de Sousa, Hugo Cajuda, que emitiu um comunicado que incluía: “Vimos um momento deplorável. Somente alguém perturbado e desesperado pode mostrar tal falta de ética, desrespeito e falta de profissionalismo. Apesar de sua longa história, a pessoa acima mencionada consegue subir outro nível neste episódio embaraçoso.”

Cajuda também criticou Jesus por deixar o Flamengo após renovar seu contrato, citando a pandemia como causa, e tentou culpar o clube brasileiro por instigar problemas antes de sua demissão pelo Benfica em dezembro. “É uma continuação do ‘eu’ sempre eclipsando o ‘nós’ e tentando justificar tudo”, disse Cajuda. “Devem ser dadas justificações e desculpas aos adeptos do Benfica que viram gastos 150 milhões de euros e zero troféus!”

Figuras da mídia também cercaram Jesús, com o especialista Neto atirando: “Esse canalha, esse Zé Ruela, essa desgraça, fez uma indignação que foi a pior coisa que vi no futebol em 35 anos. Eu nunca vi nada tão sujo quanto isso.”

Por sua vez, o ex-campeão internacional brasileiro e mundial Denilson acrescentou: “Se eu fosse Paulo Sousa, diria: ‘Que piada, isso é uma falta de respeito pelo trabalho que estou fazendo aqui’. Parabéns ao Jorge Jesús, que fez um excelente trabalho, mas acho que desrespeitou um profissional. Para mim foi uma grande falta de respeito do Jorge Jesús. Falo de conduta profissional, de ética para com um colega, um compatriota.

“E independentemente de ser português, é uma falta de respeito por um profissional que manda. E parece que o trabalho está sendo bem feito, que a direção e os jogadores estão satisfeitos com o trabalho do Paulo. Aí vem uma declaração dessas para atrapalhar o meio ambiente e causar mais pressão dentro do Flamengo”.

Embora as ações de Jesus o tenham tornado impopular no cenário mais amplo do futebol brasileiro, ele continua sendo adorado pelos torcedores do Flamengo. Os torcedores do Mengão cantaram novamente o nome de Jesus na derrota contra o Botafogo, que aconteceu em meio a polêmica, enquanto o presidente Rodolfo Landim expressou seu apoio e confiança em Sousa, mas reconheceu resultados ruins.

O retorno de Jesús ao Brasil está longe de ser inevitável, com Landim querendo minimizar a possibilidade e alegar que a dupla não se falou em 2022. Enquanto isso, Jesús continua ligado ao gigante turco Fenerbahce, que há muito dispensou seu antecessor, o português Vitor. Pereira, que foi demitido no ano passado.

Corinthians acima, mas não sem críticas

Pereira agora lidera o Brasileirão. Seu Corinthians lidera a tabela após cinco jogos com 12 pontos, além de liderar o grupo da Copa Libertadores com quatro dos seis jogos disputados. É um bom começo para Pereira, que já expressou seu apreço por muitos aspectos da cultura brasileira de fãs.

“Este campeonato tem uma característica que estou aprendendo”, disse Pereira recentemente. “Jogamos contra o Botafogo com 40 mil pessoas em euforia. Em Portugal, só conseguimos isso nos grandes jogos. Já vi aqui várias vezes. O ambiente não é fácil, a competição não é fácil, a sequência de jogos é grande, o espaço entre eles é curto. Estou tentando me adaptar e entender bem as características desta liga para que a equipe continue competitiva”.

A adaptação de Pereira ao agitado calendário brasileiro é algo que ele esperava. Abel Ferreira é um forte crítico do congestionamento de jogos na América do Sul, com seu time do Palmeiras conquistando apenas uma vitória até agora no Brasileirão, depois de participar de três competições antes do início da campanha do campeonato.

No entanto, se Pereira estava preparado para o calendário, talvez não estivesse preparado para as críticas. O Corinthians pode estar no topo da tabela, mas a lenda do clube Rivelino tem sido um crítico vocal de seu nível de desempenho e se recusa a aceitar o cansaço como justificativa para o sistema de rodízio adotado por Pereira, o que levou à falta de fluidez em campo.

“Os coríntios são os líderes, mas meu Deus! É apenas um conjunto de jogadores colocados em campo, eles não mostram nada”, começou Rivelino. “Cada jogo tem um time diferente. Aquela conversa de que os jogadores estão cansados ​​e precisam descansar… Um jovem de 20 anos está cansado? Não há problema em estar cansado depois do jogo, mas não é possível estar tão cansado.

“Hoje os atletas se preparam, se recuperam bem, têm tudo. Não é possível não jogar duas vezes por semana? Jogamos quarta e sábado ou quarta e domingo. Eram dois jogos por semana. Essa conversa de não ter escalação inicial é nojenta. O Liverpool não tem onze titulares? Claro que sim.

“Vejo o Corinthians e cada jogo tem um meio-campo diferente. Quando a equipe será formada? Não vejo uma equipe equilibrada criando situações. Vejo um ou dois ataques indo bem e alguém marcando um gol.

A conjuntura tão desafiante apenas reforça as conquistas de Jorge Jesus e Abel Ferreira, o que tem marcado uma tendência de valorização dos treinadores portugueses no Brasil que mostra poucos sinais de abrandamento.

Por Sean Gillen

@Sean Gillen16

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.