Amazon anuncia Alexa, um novo chip mais inteligente na linha Echo | caixas de som

Alexa, assistente de voz da Amazon, ficará mais inteligente com novos recursos de aprendizado de máquina. As melhorias devem permitir que a Inteligência Artificial “adivinhe” o que o usuário pedirá a seguir, sugerindo ações e habilidades prontamente disponíveis. Segundo a Amazon, a ideia é fazer Alexa se comportar de forma mais natural e humana ao falar.

A atualização já está disponível no Alexa em inglês, nos Estados Unidos e, por enquanto, não há informações sobre a mudança em outros idiomas. A marca também anunciou a substituição do processador nas caixas da linha Echo, que agora trará o chip Inferentia de fabricação própria.

Amazon anuncia uma nova safra de Echo, Echo Dot, Fire e outros dispositivos

Amazon Alexa no Brasil: o assistente de voz agora funciona totalmente em português

Quer comprar telefones celulares, televisores e outros produtos com desconto? Descubra Compare TechTudo

A intenção da Amazon com Alexa é que o assistente seja mais pró-ativo e demonstre maior independência no relacionamento com o usuário, oferecendo ações que derivam do contexto de cada situação.

Por exemplo, se o usuário perguntar “quanto tempo leva para fazer o chá?”, O assistente geralmente responde “cinco minutos”. Agora, com a atualização, Alexa pode sugerir “você quer que eu defina um cronômetro de cinco minutos?” Esse processo deve tornar a experiência mais fácil para o usuário, que pode não ter a ideia ali mesmo.

Essa capacidade de inferir uma ação a partir do contexto da conversa usa a tecnologia de aprendizado de máquina. Segundo a Amazon, o aparelho deve ter um conjunto de situações e interações para saber quando é apropriado fazer uma sugestão. Entre as entradas que alimentam esta IA estão os hábitos do usuário, histórico de conversas e ações com o assistente.

Chip de inteligência artificial Inferentia

O chip Inferentia da Amazon acelera a operação do Alexa em produtos Echo – Foto: Yuri Hildebrand / TechTudo

Inferentia é o nome do processador de Inteligência Artificial criado pela Amazon para suas caixas Echo. O chip vai substituir a tecnologia da Nvidia na infraestrutura responsável pelo processamento dos dados relacionados à interação do usuário com o Alexa, quando utilizado em alto-falantes.

Segundo a Amazon, o componente deve representar uma redução nos custos operacionais da ordem de 30%, além de garantir 25% a menos na latência nas respostas. Como todas as interações com o assistente são altamente dependentes da internet, isso deve garantir uma Alexa mais rápida no dia a dia.

You May Also Like

About the Author: Gabriela Cerqueira Corrêa

"Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *