Análise: pragmático, Vasco conta com o brilhantismo de Cano para uma vitória convincente | Basco

O Vasco não ficou, mas mostrou mais uma vez que pode ser letal na vitória sobre o Sport, por 2 a 0, pela 21ª jornada do Brasileirão, neste sábado. No jogo marcado pela consistência basca, foi a vez de Cano tirar o brilho que afetou o placar e garantiu o resultado fora de casa.

Vasco dá bola, mas contra-ataque

Fechado, o Vasco deu a bola para o Sport no primeiro tempo (tinha apenas 38% da posse de bola), mas voltou a ameaçar ofensivamente com frequência, coisa que não vinha acontecendo. No palco foram sete jogos contra apenas três do Sport.

O meio-campo se deu muito bem e Andrey, que estava muito mal, cresceu. Encontrou ótimos passes e falou bem com Benítez e Léo Gil, que deram a assistência para o gol de Cano, que marcou aos 24. O lance de Sá Pinto é que, apesar de organizado e bem colocado, o o equipamento às vezes chegava com poucas peças à frente.

A estratégia foi ter velocidade para aproveitar os erros do Sport, algo que aconteceu no primeiro tempo com a dobradinha de Léo Gil e Cano. Assim que o gol veio e surgiram mais duas jogadas perigosas. Na etapa final, em igualdade de condições, Neto Borges recebeu de Andrey enquanto a defesa rival se reorganizava e serviu para o segundo gol do argentino.

O atacante voltou a marcar após nove jogos – Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama

Outro dado digno de nota foi a amplitude que Léo Matos deu à direita desde que chegou a São Januário. Ele apareceu duas vezes para finalizar e, rapidamente para se infiltrar, ganhou espaço para fazer cruzamentos.

O Vasco mal tinha a bola, mas estava melhor no jogo porque controlava o espaço. O esporte cresceu no segundo tempo, deu mais trabalho a Fernando Miguel, mas pouca ameaça. Incapaz de jogar no meio, o rival apelou para os centros e enfrentou a bem posicionada defesa basca.

Mesmo assim, a equipe da casa aumentou o volume de apresentações e teve mais chances no segundo tempo. Um avanço que foi permitido pela posição do Vasco. Com o segundo gol antes dos 10 minutos, Sá Pinto dobrou a aposta na estratégia de contra-ataque e desistiu. A equipe teve que correr atrás da bola, mas não sofreu na partida.

Em muitos movimentos, apenas Cano estava livre para pontuar – Foto: Reprodução / Estreia

Foi, acima de tudo, uma grande atuação coletiva do Vasco. Mas alguns jogadores tiveram um papel especial. Entre eles, obviamente, Germán Cano. O desencantado atacante marcou os dois gols da vitória e foi a estrela da partida. Mostrou a leitura de jogo que os torcedores costumam ver para deixar o zagueiro Adryelson perdido nas jogadas que decidiram o jogo.

Não foi só o argentino. Da meia-volta, outros nomes apoiaram o Vasco. Andrey era o retrato do jogo sólido da equipe. Acertou quase tudo que tentou. Dos 44 passes em jogo, apenas três falharam. Além disso, ele iniciou o segundo gol.

Na defesa, Marcelo Alves, Léo Matos e Neto Borges também. Fernando Miguel não era muito exigente, mas mostrava confiança quando precisava entrar no jogo.

O Vasco brilhou pouco, mas foi uma atuação sólida, apontando um caminho de consistência que pode tirar o clube da zona de rebaixamento. A próxima corrida será contra o Fortaleza, na próxima quinta-feira, às 19h, em São Januário. Válido pela 16ª rodada, o duelo foi adiado quando o adversário participou da Copa do Brasil.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *