Andressa Urach diz que era mais usado na igreja do que na prostituição

Andressa Urach fez uma declaração polêmica durante um longo desabafo postado nas redes sociais na sexta-feira (30/10). A personalidade da mídia disse que ela “se cansou” da igreja e se sentiu usada no meio religioso.

“Dediquei os últimos seis anos da minha vida a Jesus como todos sabem, mas acabei me sentindo um objeto descartável, nunca me senti assim mesmo na era da prostituição”, disse Andressa Urach. A apresentadora também revelou que abandonou a faculdade de jornalismo devido às decepções de que vem sofrendo.

“Eu sei que Jesus não tem nada a ver com isso, e a obra de Deus é feita por pessoas que falham. Eles me excluíram dos grupos fazendo-me sentir como se tivesse ‘demônios’ por não fazer parte da instituição. Se eu te contasse tudo o que me aconteceu nos últimos anos, você ficaria escandalizado e eu teria me tornado ateu. Eu amo a igreja, mas não posso mais ir à igreja, fiquei sem graça ”, relatou Urach.

Andressa Urach revelou que sofre de síndrome limítrofe e que o quadro é controlado graças ao tratamento psiquiátrico.

Recentemente, ela revelou que deixou de ser pastora porque não tem vocação e está aberta às críticas da igreja.

Veja a explosão:

Veja esta foto no Instagram

Pessoal, não estou escondendo nada de ninguém. Nos últimos meses passei por uma decepção tanto que me partiu literalmente o coração, não consegui nem estudar, vou ter que trancar a faculdade de jornalismo, porque não tenho cabeça para pensar nisso. Dediquei os últimos 6 anos da minha vida a Jesus como todos sabem, mas acabei me sentindo um objeto descartável, nunca me senti assim mesmo na era da prostituição. Eu sei que Jesus não tem nada a ver com isso e que a obra de Deus é feita por pessoas que falham. Eles me excluíram dos grupos fazendo-me sentir como se tivesse “demônios” por não fazer parte da instituição. Se eu te contasse tudo o que aconteceu nos últimos anos, você ficaria chocado e eu teria me tornado ateu. Mas graças a Deus no hospital em 2014 enfrentei a morte e tive uma experiência pessoal com Deus e sei que Jesus está vivo. Hoje, como todos sabem, tenho contrato com a Record aqui no Rio Grande do Sul e dependo financeiramente do meu salário e vai continuar até março do ano que vem. (Se não me demitirem até lá), como fizeram na outra vez que estive em São Paulo quando desobedeci às orientações que recebi e casei com o pai do meu filho. A questão em questão é… eu amo a igreja, mas não posso mais ir à igreja, fiquei sem graça, porque dizem que quando saímos da rua ficamos 7 vezes piores do que quando chegamos. Então, eu não quero ouvir isso! Isso está me machucando. Não quero e nunca serei quem fui. Volto aos meus tratamentos psiquiátricos, pois sou um borderline controlado. Enquanto estava na igreja, tudo estava sob controle, mas agora que não vou mais à igreja, comecei a tomar alguns medicamentos para me acalmar e controlar minhas crises de ansiedade que voltaram nesta segunda-feira. Preciso controlar minha impulsividade e principalmente minha raiva! Falei amigavelmente com a igreja para reaver as doações que fiz nos últimos anos, mas infelizmente ainda não tive retorno, não queria ir a tribunal. Mas não estou bem, estava vulnerável na época e não pensava no futuro do meu filho, muito menos no meu, estava em uma fase muito frágil e ainda estou, então volto aos meus tratamentos.

Uma postagem compartilhada por Andressa Urach (@andressaurachoficial) em

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *