Angola faz parceria com AFC em nova fase de crescimento para aumentar valor das exportações de commodities

Angola, que recentemente se tornou o maior produtor de petróleo da África, procura agregar mais valor em todo o espectro de exportações de commodities através da parceria com a Africa Finance Corporation como acionista e seu 35º estado membro.

Com os recursos naturais de Angola em alta demanda, à medida que a Europa busca fontes alternativas de combustível e alimentos na esteira da crise Ucrânia-Rússia, a parceria com a AFC ajudará a impulsionar a próxima fase de crescimento e desenvolvimento do país, disse a ministra das Finanças, Vera Daves.

“A adesão à AFC oferece a Angola uma parceria muito necessária com uma instituição multilateral africana altamente qualificada que pode apoiar a nossa transição de um modelo económico liderado pelo Estado e financiado pelo petróleo para um modelo de crescimento liderado pelo setor privado”, disse Daves. . “Estamos ansiosos para colaborar com a AFC à medida que nos aproximamos da próxima fase de crescimento e desenvolvimento de Angola.”

A abordagem de investimento da AFC está alinhada com as prioridades do governo por meio de seu foco no financiamento de projetos de infraestrutura instrumental que promovam a diversificação econômica e a industrialização baseada em recursos. Nesse sentido, a AFC aprovou recentemente um financiamento de 100 milhões de dólares para a construção da Refinaria de Cabinda, um projeto nacional prioritário para aumentar o valor acrescentado local às exportações de petróleo e criar milhares de empregos.

A AFC está trabalhando com o governo em uma carteira de projetos potenciais adicionais, totalizando quase US$ 1 bilhão em vários setores, incluindo recursos naturais, transporte e energia. A AFC está a avaliar oportunidades para apoiar as refinarias que irão impulsionar a produção local, impulsionar a substituição de importações e fortalecer as redes de produção, juntamente com a construção de um corredor ferroviário que irá aumentar as exportações na sub-região de Angola.

Em 2020, a AFC, como parte de um sindicato, fez um investimento de 45 milhões de dólares na Sonangol, empresa petrolífera estatal do país, para apoiar projetos estratégicos, incluindo o desenvolvimento da primeira central solar fotovoltaica de Angola. A Corporação pretende se concentrar em aumentar ainda mais a eletricidade por meio de dois projetos-chave de geração e transmissão de energia.

Angola é a mais recente na área de rápida expansão da AFC em África, tendo acrescentado 16 novos países membros nos últimos quatro anos. Outros estados membros na África Austral incluem Malawi, Namíbia, Zâmbia e Zimbábue.

Com a missão de preencher a lacuna de infraestrutura do continente, a AFC investiu mais de US$ 10 bilhões, usando seu acesso exclusivo aos mercados de capitais globais para impulsionar o desenvolvimento, integrar as economias regionais e transformar vidas. Os países membros desfrutam de benefícios significativos, incluindo maior alocação de investimentos, acesso preferencial às soluções de estruturação e empréstimos da AFC para estados soberanos, redução dos custos da dívida para projetos e acesso aos serviços exclusivos de consultoria e desenvolvimento de projetos da AFC. Como accionista, Angola pode co-investir as suas reservas estrangeiras em activos de infra-estruturas africanas de alto impacto e alto rendimento sem risco da Corporação.

“O estatuto de membro e accionista de Angola permite à AFC continuar a apoiar o governo na promoção da transformação industrial necessária para construir uma economia resiliente e inclusiva,” disse Samaila Zubairu, Presidente e CEO da AFC. “Esperamos aumentar a nossa parceria com o governo angolano para servir não só os projetos nacionais, mas também toda a região da África Austral e Central”.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.