As repetições destacam a obra de Manoel Carlos

Grande nome da televisão brasileira, Manoel carlos terminou sua contribuição em série com Em familia, exibido em 2014. O enredo sem brilho e a baixa repercussão da novela não estavam à altura do autor, dono de grandes clássicos da televisão. A constante revisão dos locutores de suas principais novelas mostra que o autor ainda é relevante, mesmo aposentado.

Como tempos de Mulher apaixonada (viva e Laços familiares (na Globo) reafirmam a força do texto de Maneco. São obras que, sempre que vistas ou resenhas, continuam a mexer com o público, mesmo estando em digressão há alguns anos.

Continue após o anúncio

O anúncio não pode ser carregado.

A trajetória de Por amor, que teve nada menos que duas repetições na Globo e duas repetições no Viva, é mais uma prova de que o público ainda valoriza a crônica de Manoel Carlos. Na verdade, se levarmos em conta que o Vale a pena ver de novo Sempre preferiu os romances mais recentes, só o fato de apresentarem tramas de 20 anos atrás já mostra o quanto Maneco ainda toca o público.

Trio vencedor

Por amor, laços familiares mim Mulher apaixonada eles formam uma fenda vitoriosa na obra de Manoel Carlos na Globo. Três romances em oito (ou nove) dirigidos por Ricardo Waddington, o diretor mais feliz por dar ritmo ao texto peculiar de Maneco.

Manoel Carlos tem uma galeria muito maior de romances de sucesso, mas esses três representam o apogeu do autor. Foi aqui que consolidou definitivamente a sua heroína Helena, entregando-a às atrizes que faziam o trabalho.

Com Por amor mim Laços familiaresManoel Carlos transformou suas Helenas nas grandes heroínas, com todos os demais assistentes orbitando-as. Já Mulher apaixonada marcou uma mudança no eixo narrativo, em que o autor optou por várias histórias que correram em paralelo, quase como numa “revez” de destaque.

Foi uma audácia que deu certo, pois o autor conseguiu equilibrar as várias histórias que se propôs a contar. Porém, aqui começa um processo de “esvaziamento” da heroína Helena. O personagem clássico perde fôlego nas novelas a partir de então. Páginas da vida, viva a vida mim Em familia Eles têm Helenas menos chocantes.

Eterno

É evidente que muito do que Manoel Carlos narra em seus romances parece desatualizado. Quando Laços familiares Foi reapresentada no Viva, as cenas em que Pedro (José Mayer) perseguia Cíntia (Helena Ranaldi) incomodaram muito mais do que a exposição original. Afinal, hoje se fala mais em bullying e na cultura do estupro, e o comportamento de Pedro se tornou muito mais repreensível.

O mesmo acontece com o excesso de machismo de Atílio (Antonio Fagundes), Marcelo (Fabio Assunção) e outros personagens de Por amor. Felizmente, o comportamento tóxico da maioria dos personagens masculinos faz cada vez menos sentido. Laços familiares mim Mulher apaixonada trazem também abordagens machistas, que hoje chamam a atenção.

No entanto, isso não prejudica a obra de Manoel Carlos. A sensibilidade do autor em criar grandes situações e histórias a partir de eventos triviais fala mais alto ao revisar seus romances. E esses sentimentos são universais, daí o sucesso que seus romances continuam a ter, anos depois de serem mostrados. Então verifique Mulher apaixonada mim Laços familiares é ver Maneco no seu melhor.

* As informações e opiniões expressas nesta revisão são de responsabilidade exclusiva do autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *