Assalto em Criciúma: o que se sabe e o que falta esclarecer | Santa catarina

Veja o que já se sabe sobre o caso e o que falta esclarecer:

Como os criminosos agiram?

Cerca de 30 encapuzados assaltaram uma agência do Banco do Brasil no Centro de Criciúma às 23h50 desta segunda-feira (30). A quadrilha iniciou incêndios, bloqueou ruas e entradas da cidade, disparou contra o Batalhão da Polícia Militar e usou reféns como escudos. Durante a ação, que durou 1 hora e 45 minutos, os criminosos deram vários tiros. Veja a linha do tempo abaixo:

Cronologia do assalto a banco em Criciúma – Foto: Arte G1

Após o ataque, os criminosos fugiram e deixaram parte do dinheiro lá. Quatro vizinhos foram presos após arrecadação de R $ 810 mil que permaneceram no terreno.

Banco do Brasil seguro, alvo de criminosos em Criciúma, sul da Carolina do Sul – Foto: Polícia Civil

Por volta das 2h30, especialistas estavam nas ruas para analisar materiais explosivos abandonados. Cerca de 200 quilos de explosivos foram deixados para trás. E a polícia não sabe o total usado. Pela manhã, os explosivos foram detonados pelo Bomb Squad.

Vários pods de munição foram encontrados nas calçadas e nas ruas próximas à ação, incluindo um rifle.

Assalto em Criciúma: Vídeo mostra ruído de mais de 100 tiros em pouco mais de 1 minuto

O que aconteceu com os reféns?

Seis trabalhadores da Diretoria de Trânsito e Transporte de Criciúma (TDT), que pintavam faixas nas ruas, foram sequestrados durante o assalto. De acordo com a Câmara Municipal, três deles foram obrigados a ajudar a colocar as bolsas de dinheiro do banco nos veículos dos criminosos.

Autoridades municipais foram entregues, obrigadas a tirar a camisa e sentar-se na faixa de pedestres a poucos metros da agência bancária atacada por bandidos, na Avenida Getúlio Vargas, próximo à agência, para obstruir a ação policial. Todos os seis foram liberados após duas horas sem ferimentos.

Sérgio Eduardo Firme foi um deles. “Foi um dia de terror para nós. Estamos traumatizados até agora”, disse ele. Segundo ele, os bandidos jogaram dinheiro na rua de propósito. “O [um dos assaltantes] Ele disse: ‘Vou jogar 500 grandes na rua. Vou jogar para os meninos e vocês vão aproveitar a oportunidade para fazer isso também. ”

CRICIÚMA VÍDEO: imagens mostram criminosos fazendo reféns durante assalto

CRICIÚMA VÍDEO: imagens mostram criminosos fazendo reféns durante assalto

Soldado da PM Jeferson Luiz Esmeraldino ferido durante assalto em Criciúma – Foto: Redes Sociais / Reprodução

Um PM ficou ferido. O soldado Jeferson Esmeraldino foi baleado enquanto voltava para o batalhão, segundo a Polícia Militar. Ele está internado em estado grave, com hemorragia interna, e já passou por três cirurgias. Ele tem 32 anos e atua na Polícia Militar desde 2016, no 9º Batalhão da Polícia Militar em Criciúma.

Polícia permanece internada após ser ferida durante assalto em Criciúma

Polícia permanece internada após ser ferida durante assalto em Criciúma

Quem foi o responsável pelo roubo? Alguém foi preso?

Os criminosos fugiram. Até as 15h de terça-feira (1º), ninguém havia sido preso. A polícia estima que pelo menos 30 pessoas estejam envolvidas no crime.

Ainda a quantidade consumida é desconhecida por criminosos. A polícia encontrou cerca de R $ 300 mil espalhados pelas ruas. Além disso, deteve quatro vizinhos que tentavam levar malas com R $ 810 mil que os bandidos haviam deixado.

O que a polícia encontrou?

Até o momento, 10 carros usados ​​foram apreendidos no assalto em um milharal particular em Nova Veneza, a noroeste de Criciúma. Nove dos 10 veículos eram blindados, segundo a Polícia Civil. Eles foram pintados de preto.

Os carros apreendidos foram usados ​​por criminosos para fugir após o ataque em Criciúma, segundo a polícia – Foto: Diorgenes Pandini / NSC

O delegado Víctor Bianco Cruz informou que os criminosos utilizavam veículos de “alta potência e grande valor comercial”, de marcas como Audi, Land Rover, BMW, Mitsubishi e Volkswagen.

Alguns tinham placas de São Paulo, mas até a última atualização deste relatório, a polícia não sabia se eram verdadeiras ou falsas.

Polícia encontra carro usado em assalto a banco em Criciúma / SC

Polícia encontra carro usado em assalto a banco em Criciúma / SC

Os jornalistas foram ameaçados?

Uma equipe de uma estação de rádio foi ameaçada durante uma transmissão ao vivo para denunciar a agressão. Segundo o gerente de rádio jornalismo da Eldorado, João Paulo Messer, e o locutor da mesma emissora, Dante Bragato, à 1h15 os jornalistas começaram a receber ligações ameaçadoras. “Comunicamos o endereço e recebemos a ordem de interromper a transmissão por lá”, disse Dante Bragato.

Radialistas que transmitiram ao vivo a agressão em Criciúma denunciam ameaças

Radialistas que transmitiram ao vivo a agressão em Criciúma denunciam ameaças

O que o Banco do Brasil disse?

Em nota, o Banco do Brasil disse que os funcionários não ficaram feridos, que não há previsão de reabertura do órgão e que não informa “valores subtraídos durante ataque às suas instalações”.

Como as forças de segurança foram organizadas para responder ao ataque?

O PM destacou todos os policiais da região sul catarinense e equipes do Pelotão de Vigilância Tática (PPT), do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), tanto de Florianópolis quanto do Rio Grande do Sul, do Comando de Operações de Busca , Resgate e Assalto (Cobra). ), Batalhão de Aviação, Canil e Polícia Militar de Estradas Estaduais.

A Polícia Civil também mobilizou todas as equipes da região Sul de Santa Catarina, além de policiais da Delegacia de Roubos e Antissurtos, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), do Serviço de Polícia Aérea (SAER) e da Coordenação de Recursos e Operações Especiais (Testemunho).

O General Institute of Forensics (IGP) trabalhou com especialistas criminais e bioquímicos, papiloscopistas e agentes especializados para pareceres de especialistas. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) também auxilia PM nas rodovias federais.

VÍDEOS: Veja momentos detalhados de assalto a banco em Criciúma (SC)

ASSISTÊNCIA E RESOLUÇÃO DE CRIME

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *