Athletico paga o preço para salvar os campeões, vê a pressão aumentar e não estabelece prioridades | athletico-pr

O Athletico pagou um alto preço por um planejamento questionável. El Huracán salvou a maioria dos titulares e perdeu o jogo para o Peñarol e a liderança do Grupo C. Agora, o Atlético enfrenta um dos primeiros colocados das oitavas de final da Libertadores.

O torneio continental não oferece partidas fáceis, principalmente nas oitavas de final. Mas terminar na liderança faria o Furacão fugir de times como Boca Juniors, River Plate, Santos e provavelmente Flamengo e Palmeiras.

Terminar na liderança pode colocar times como Guaraní-PAR, Delfín e Caracas na rota rubro-negra. Não são equipas fracas, mas não se comparam com a dificuldade que o Atlético deve agora encontrar.

Devido à maratona de jogos, o clube decidiu salvar sete jogadores. A equipe, que também não contava com Renato Kayzer, contratado após o prazo de inscrições, ainda perdeu Lucas Halter e Walter para a Covid-19.

O Atlético chegou a lutar em igualdade com o Peñarol, mas cometeu muitos erros, algo natural para uma equipe que nem treinava junta. Apenas Santos, Erick e Nikão foram titulares absolutos. Huracán foi atrás, deu meia volta com Lucho e Richard, mas deu a volta na etapa final.

Uma escalação com mais dois ou três jogadores (como Thiago Heleno, Abner e Christian) já daria mais apoio. Porém, com tantas defesas, o Atlético teve que improvisar Alvarado na defesa e Fabinho na esquerda. E a equipe, é claro, sentiu falta de simpatia.

Eduardo Barros ainda tentou explicar o planejamento do clube, dizendo que era o “momento certo” para salvar as manchetes. Mas estava claro que o furacão passou por momentos difíceis. Ele perdeu a oportunidade de liderar um grupo fraco e, aliás, ficou atrás do boliviano Jorge Wilstermann.

A derrota nunca é um resultado calculado. Precisávamos liderar a equipe. Dada a nossa classificação antecipada na Libertadores, era um momento oportuno para uma nova tacada

– Eduardo Barros, assistente / interino

Além de todas as consequências que a derrota tem para a própria Libertadores, também pressiona outras competições. Com os jogadores descansados, a vitória sobre o Grêmio torna-se (praticamente) uma obrigação. El Huracán ocupa a 17ª posição, com 16 pontos.

O fato de ter salvado os campeões da Libertadores também aumenta a responsabilidade pelos jogos da Copa do Brasil. O Atlético enfrenta o Flamengo nas próximas duas quartas-feiras. O clube carioca é o favorito, claro, mas o Huracán precisa dar uma resposta aos seus torcedores.

O Atlético já perdoou os jogadores do Brasileirão, onde estão no Z-4. Ele já salvou jogadores na Libertadores, onde se classificou apenas como vice-campeão. Com um planejamento tão confuso, é difícil responder o que é, de fato, a prioridade do clube nesta temporada.

Cheio de reservas, Atlético perde jogo e liderança – Foto: Staff Images / Conmebol

O sorteio das oitavas de final será realizado na sexta-feira às 12h00. O Atlético pode enfrentar qualquer um dos primeiros colocados, incluindo uma seleção brasileira ou uma equipe do mesmo grupo. Depois de terminar em segundo, Hurricane fará seu primeiro jogo em casa e decidirá fora.

A Libertadores, agora, pára por um mês. A primeira mão das oitavas de final será disputada entre os dias 24 e 26 de novembro. E os jogos voltam, entre 1º e 3 de dezembro. As quartas de final serão em dezembro. As semifinais e a final, em janeiro de 2021.

Enquanto isso, o Atlético volta suas atenções para as competições nacionais. O El Huracán enfrenta o Grêmio no domingo, às 18h15, na Baixada, pela 18ª partida. Na sequência, recebe o Flamengo, às 21h30 desta quarta-feira, também na Baixada, pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Depois tem o Sport pelo Brasileirão e a segunda mão da Copa do Brasil … A maratona é intensa – e deve continuar assim se / enquanto o Furacão avança nas competições. Por falar em maratona, o Atlético precisa correr para encontrar soluções e redescobrir vitórias.

Mesa de jogo de atletismo

  • Atletico x Grêmio – 25/10 – 18:15 – Arena da Baixada
  • Atletico x Flamengo – 28/10 – 21h30 – Arena da Baixada
  • Sport x Athletico – 01/11 – 16h – Ilha do Retiro
  • Flamengo x Atletico – 11/04 – 21:30 – Maracanã
  • Atletico x Fortaleza – 07/11 – 17h – Arena da Baixada

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *