Bellintani revela conversas avançadas com um técnico estrangeiro e outro brasileiro | baía

ELE Baía você não perdeu seu tempo procurando por um substituto para Roger Machado, demitido quarta-feira passada após derrota por 5 a 3 para o Flamengo. Em entrevista ao Globo Esporte nesta quinta-feira, o presidente tricolor Guilherme Bellintani disse que tem conversas avançadas com dois treinadores. Uma é brasileira e outra de fora do país.

Segundo Bellintani, o cenário mais favorável é do técnico brasileiro. O técnico estrangeiro temeria a situação da saúde pública no Brasil, que já ultrapassou a marca de 120 mil mortes causadas pelo novo coronavírus. O presidente tricolor negou que o profissional de fora do país seja o argentino Gabriel Heinze, o ex-Vélez Sarsfield, ou o uruguaio Diego Aguirre, que já atuou em São Paulo, Internacional e Atlético-MG.

– Temos dois tiros hoje, agora. Um dos focos é um técnico brasileiro e o outro é um técnico estrangeiro. Com mais dificuldade para o estrangeiro, para o momento do país, que está a resistir por causa da questão do Covid, os treinadores de fora estão a resistir. Portanto, existe uma tendência para um treinador nacional, embora hoje tenhamos estudado e conversado com um treinador externo. Ele estava aberto, interessado, mas um pouco assustado, devido às circunstâncias de saúde pública do país. Mas é um processo que estamos fazendo com calma, rapidez, claro. Mas essa velocidade não é uma má escolha, pois queremos trazer alguém para ter um pouco mais de vida no clube.

Guilherme Bellintani, presidente da Bahia – Foto: Playback / TV Bahia

Bellintani afirmou que não pode revelar o nome do treinador estrangeiro, mas frisou que se trata de um profissional que já estava em observação.

– Não posso. Ele é um treinador que olhamos há muito tempo. A vinda dele é muito difícil, mas também temos conversas avançadas com um treinador brasileiro de que também gostamos.

Com a vaga de técnico, várias especulações surgiram na manhã desta quinta-feira. Nomes como o treinador Luís Felipe Scolari estiveram ligados ao Tricolor, embora o experiente treinador tenha um perfil diferente de Roger Machado. Bellintani disse que o Bahia não trabalha apenas com o perfil profissional, mas não deu o nome do pentacampeão mundial.

– Temos perfis diferentes. Você não tem um perfil específico. O mercado está muito fechado, sem muitas opções. Existe, de certa forma … O mercado brasileiro de ônibus está migrando de uma geração para outra. Considerando que uma geração mais velha e vencedora está de alguma forma saindo do armário. Como em todos os mercados, a geração mais jovem ainda não tem bagagem e conquistas suficientes para, de certa forma, garantir um emprego. Esse momento no mercado dificulta para nós, mas ao mesmo tempo temos nossas luzes, que entendemos poder trabalhar na Bahia nesta época com o elenco que temos. Isso não depende de ser um treinador mais jovem e mais velho. O que realmente procuramos é, dado o elenco que temos, um perfil de jogo. E as alternativas que temos no mercado. Com base nisso, faremos nossa escolha.

Em seis jogos com Roger Machado no Brasileirão, o Bahia conquistou oito pontos. O início da competição pesou na avaliação para a demissão de Roger Machado. O Tricolor ocupa atualmente a 12ª posição no ranking.

– Sabemos que o processo de avaliação de treinadores, e a Bahia o implementou, é contínuo. É um ciclo. Evitamos avaliar nos momentos mais críticos. Citarei como exemplo o fim da segunda fase do Campeonato Brasileiro do ano passado ou a eliminação da Copa do Brasil ou a impossibilidade de vencer a Copa do Nordeste. Foram momentos muito difíceis, mas acreditávamos que havia uma saída, um processo de evolução possível. Nessas seis primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro chegamos à conclusão que a evolução não estava vindo e, a partir daí, optamos pela mudança. Sempre um processo de avaliação contínuo, evitando avaliações pontuais, mas entendendo que às vezes é preciso mudar – explicou o presidente tricolor.

A Bahia volta a jogar no domingo, às 16h (horário de Brasília), contra o Internacional, no Beira-Rio. O Tricolor vem de quatro rodadas sem vitórias, enquanto o Colorado lidera a Série A com quatro jogos invictos.

You May Also Like

About the Author: Gabriela Cerqueira Corrêa

"Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *