Bicampeão da NBA deixa programa dos EUA em apoio a protestos

Kenny Smith, duas vezes campeão da NBA e agora comentarista da TNT America, deixou o programa “NBA on TNT” em apoio a jogadores que decidiram boicotar Jogos de hoje da rodada do playoff da liga. O protesto dos atletas é contra a violência policial contra os negros.

“Minha cabeça está prestes a explodir com pensamentos sobre o que está acontecendo. Não sei se sou a pessoa certa para dizer o que os jogadores estão sentindo, ainda não falei com nenhum deles. Dirigindo aqui e entrando no estúdio, ouvindo o as pessoas falam. E para mim, como negro e ex-jogador, acho que o melhor para mim é apoiar os atletas e simplesmente não estar aqui esta noite ”, disse Smith ao vivo durante o programa da TNT que analisou. os eventos do dia na liga.

Ao retirar o microfone, o ex-atleta, campeão pelo Houston Rockets em 1994 e 1995, disse que lidaria com as consequências de seu ato em outro momento, mas que não se sentia confortável com a situação.

“Eu o respeito”, disse o apresentador Ernie Johnson. Os ex-jogadores Charles Barkley e Shaquille O’Neal também se sentaram e ficaram calados.

O programa seria a abertura de um dos jogos do dia que seria transmitido pela emissora e que acabou sendo mantido mesmo com a decisão da NBA de adiar os duelos Milwaukee Bucks x Orlando Magic, Oklahoma City Thunder x Houston Rockets e Los Angeles Lakers x Portland. Trail Blazers.

Veja o vídeo completo em inglês:

Jogadores do Milwaukee Bucks, Orlando Magic, Oklahoma City Thunder, Houston Rockets, Los Angeles Lakers e Portland Trail Blazers decidiram boicotar os jogos desta quarta-feira (26) pelos Playoffs de NBA. O boicote é um protesto de atletas contra a violência policial contra negros nos Estados Unidos após o ataque sofrido por Jacob Blake no último domingo em Kenosha, Wisconsin, casa dos Bucks.

Por iniciativa dos atletas, inédita na história do campeonato, a NBA decidiu adiar os três jogos do dia. De acordo com o repórter da ESPN Adrian Wojnarowski, os jogos de quinta-feira também devem ser adiados e um jogador veterano que preferiu não dizer que a temporada pode terminar.

A conclusão da temporada consecutiva da NBA e da série de playoffs em uma bolha criada pela liga em Orlando, Flórida, foi amplamente criticada por muitos jogadores. Kyrie Irving, jogador do Brooklyn Nets, e Avery Bradley, do Lakers, foram as vozes principais contra o retorno do basquetebol nos Estados Unidos. Eles entenderam que a disputa poderia desviar a atenção dos protestos pela igualdade racial que tomaram as ruas após a morte de George Floyd em maio em Minneapolis.

No domingo passado, Jacob Blake foi atingido por sete tiros disparados pela polícia na cidade de Kenosha, Wisconsin, onde estão os Bucks. O ataque gerou uma nova onda de protestos e críticas às ações dos policiais, já que Blake estava desarmado, nas costas e perto dos filhos quando foi baleado. O homem permanece hospitalizado, mas corre o risco de perder parte de seus movimentos.

A violência policial contra os negros levou à criação do movimento “Black Lives Matter”, que ganhou as ruas após a morte de Floyd em maio. e ganhou forte apoio de atletas da NBA. Várias iniciativas foram tomadas por equipes, atletas e a liga, mas o caso mais recente que vitimou Blake levou a um boicote sem precedentes de atletas.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *