Bola do ano, Mir cresce rápido e se torna um elemento na luta pelo título

Joan Mir é a grande surpresa da temporada 2020. Com ritmo competitivo e consistência como grandes marcas, o espanhol se tornou titular do pódio e já é visto como um dos grandes nomes na luta pelo título de MotoGP. E em seu segundo ano na categoria.

O jovem de Palma de Maiorca estreou-se na categoria rainha do Campeonato do Mundo de 2019. Com a Suzuki obteve resultados discretos e apenas alcançou um dos 5 primeiros ao longo do ano. Ainda assim, ele teve que lidar com uma concussão pulmonar e esteve ausente por dois períodos, o que jogou ainda mais contra sua campanha. Com isso, ele terminou apenas na 12ª colocação, oito atrás de seu companheiro Álex Rins.

Mas 2020 chegou e desde o primeiro estágio a grande evolução de Joan foi notável. Nas oito corridas já realizadas, o piloto é o que mais subiu ao pódio -quatro vezes-, além de ter permanecido entre os 5 primeiros em todas as corridas que cruzaram a linha de chegada – duas abandonadas.

Joan Mir é uma das principais pilotos na luta pelo título (Foto: Suzuki)

Descubra o canal do Grand Prix em Youtube.
Siga o Grande Prêmio em Twitter e não Instagram.

E quando você se compara aos seus oponentes, as chances de conquistar a taça são ainda mais notáveis. Ele tem 89 pontos no bolso desde o GP da Áustria, 53 de Andrea Dovizioso, 48 de Maverick Viñales e 45 de Fabio Quartararo, atual líder. E no momento ele está na segunda posição, apenas oito gols o separam do primeiro lugar da tabela.

Olhando para trás, o talento sempre esteve lá. A carreira de Mir ainda é relativamente curta. Sua estreia aconteceu em 2007, quando se envolveu com Lorenzo Competición, mas, diferente do que imaginava, a relação é de Chico, pai de Jorge, e não do tricampeão. Portanto, ele só corre nas pistas há 12 anos, mas com resultados impressionantes que o colocam como um piloto talentoso.

Até chegar ao Campeonato do Mundo de MotoGP, Joan passou por categorias como a Red Bull Rookies Cup, onde ficou dois anos e conseguiu um nono lugar e um vice-campeão, além do Mundial de Moto3 Júnior, onde começou alto ao vencer quatro. das seis primeiras corridas, mas perdeu desempenho e terminou apenas em quarto lugar.

Joan Mir ganhou o título de Moto3 em seu segundo ano (Foto: Red Bull Content Pool)

Os passos foram essenciais para chegar à Moto3 em 2016. No ano de estreia, três pódios, um com uma vitória, mostraram que o potencial existia e ele o mostrou no ano seguinte. Apenas no seu segundo ano no Campeonato do Mundo alinhou prudência e agressividade para conquistar não só o título da classe mais baixa, mas também o salto para a Moto2 com Marc VDS.

Na classe intermediária, foram quatro pódios e sete primeiros cinco em 18 corridas para fechar o campeonato como o sexto melhor piloto. E apenas estes resultados foram necessários para a Suzuki fazer a aposta e dar o último salto da sua carreira no MotoGP.

Então, sim, Mir tem todos os ingredientes para uma luta sólida pelo título na temporada de 2020. Basta olhar para trás e ver o desempenho que ele teve em momentos-chave de sua carreira e a rápida adaptação em diferentes categorias, sem se sentir oprimido por a pressão. E nas restantes seis corridas e 150 pontos em jogo, não é absurdo pensar na capacidade do jovem de 23 anos de se tornar campeão para escrever o seu nome na história de uma vez por todas.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *