BPCL assina acordo com a brasileira Petrobras para diversificar a oferta de petróleo bruto

A estatal Bharat Petroleum Corporation Ltd (BPCL) disse no sábado que assinou um acordo com a Petrobras para obter petróleo bruto da nação latino-americana como parte dos planos para diversificar suas necessidades de fornecimento.

A BPCL importa um grande volume de petróleo bruto que é convertido em combustível, como gasolina e diesel, em suas três refinarias de petróleo em Mumbai, Bina em Madhya Pradesh e Kochi em Kerala.

A empresa, que obtém a maior parte de seus suprimentos de países da Ásia Ocidental, como Iraque e Arábia Saudita, está buscando diversificar suas fontes de fornecimento em uma tentativa de reduzir a dependência de qualquer região.

O presidente e diretor administrativo da empresa, Arun Kumar Singh, e o CEO da Petrobras, Caio Paes de Andrade, assinaram um memorando de entendimento (MoU) no Brasil, informou a BPCL em comunicado.

“A assinatura do MoU fortalecerá as futuras relações comerciais de petróleo bruto entre as duas empresas e explorará potenciais oportunidades de importação de petróleo bruto pela BPCL a longo prazo, especialmente considerando as atuais situações geopolíticas”, afirmou.

Falando sobre o empreendimento, Singh disse que a parceria com a Petrobras ajudará a atingir a meta de segurança energética para o país.

A recente aprovação do Gabinete da União para investir no Brasil ajudará a diversificar a oferta de petróleo bruto da Índia.

“Fortalecer a presença da Índia no Brasil abrirá mais avenidas para negócios nos países vizinhos da América Latina”, disse ele.

A Bharat PetroResources Limited (BPRL), subsidiária de exploração e produção de petróleo e gás upstream da BPCL, planeja investir US$ 1,6 bilhão para desenvolver um bloco de petróleo no Brasil.

A BPRL tem participação em um bloco de hidrocarbonetos em águas ultraprofundas no Brasil de propriedade e operado pela Petrobras. O plano de desenvolvimento do campo e a decisão final de investimento devem ser anunciados em breve, disse o comunicado sem dar detalhes.

Em 27 de julho, o Gabinete da União aprovou a empresa para investir mais US$ 1,6 bilhão no bloco petrolífero brasileiro BM-SEAL-11.

O bloco começará a produção a partir de 2026-27.

A BPRL tem uma participação de 40% no bloco. A Petrobras é a operadora com 60% de participação.

Várias descobertas de petróleo foram feitas no bloco, que agora está sendo desenvolvido.

Originalmente, BPCL se había asociado con Videocon para tomar la participación en el bloque en 2008. IBV Brasil SA, una empresa conjunta 50-50 entre Videocon y BPRL Ventures NV, una unidad de BPRL (el brazo upstream de BPCL), poseía el 40 por cento . Mas após a falência da Videocon, a BPRL agora detém 40% das ações.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.