Brasil bate mais um recorde de desmatamento na Amazônia, causando alarme | Notícias do meio ambiente

Ambientalistas dizem que a perda da Amazon em abril, equivalente a cerca de 140.000 campos de futebol, é muito alta para esta época do ano.

O desmatamento na Amazônia brasileira atingiu um novo recorde em abril, mostraram dados oficiais, enquanto os defensores dos direitos ambientais continuam a criticar as políticas do presidente Jair Bolsonaro para acelerar a crise.

O desmatamento da Amazônia totalizou 1.012,5 quilômetros quadrados (390 milhas quadradas) de 1º a 29 de abril, segundo dados da agência nacional de pesquisa espacial INPE divulgados na sexta-feira. A agência reportará dados para o último dia do mês na próxima semana.

A perda equivale a uma área equivalente a cerca de 140.000 campos de futebol e é de longe a maior em abril desde que os registros começaram em 2015.

O recorde, o terceiro em quatro meses, também marca a mais recente estatística condenatória sobre o desmatamento da Amazônia sob Bolsonaro, que desde que assumiu o cargo em 2019 enfraqueceu as proteções ambientais que ele diz dificultar o desenvolvimento econômico que poderia reduzir a pobreza na região.

“A causa desse registro tem nome e sobrenome: Jair Messias Bolsonaro”, disse Marcio Astrini, chefe do grupo brasileiro de defesa do clima Observatório do Clima, em comunicado.

A destruição da Amazônia brasileira nos primeiros quatro meses do ano também atingiu um recorde para o período de 1.954 quilômetros quadrados (754 milhas quadradas), um aumento de 69% em relação ao mesmo período de 2021, limpando uma área de mais duas vezes o tamanho. da cidade de Nova York.

Especialistas também alertaram sobre as altas taxas de desmatamento durante a estação chuvosa, época em que os madeireiros costumam ter mais dificuldade em acessar as árvores.

“Esse número é extremamente alto para este período do ano”, disse Mariana Napolitano, diretora científica do escritório do World Wildlife Fund no Brasil, em comunicado. “É um aviso da imensa pressão que a floresta está sofrendo.”

O gabinete de Bolsonaro e o Ministério do Meio Ambiente não responderam imediatamente a um pedido de comentário da agência de notícias Reuters.

Bolsonaro, que busca a reeleição nas eleições altamente antecipadas de outubro, enfrentou condenação internacional pelos danos à Amazônia.

A preservação da maior floresta tropical do mundo é vital para conter as mudanças climáticas devido à grande quantidade de gases de efeito estufa que suas árvores absorvem.

Na semana passada, o ator americano Leonardo DiCaprio foi ao Twitter para pedir aos brasileiros que votem nas próximas eleições.

“O Brasil abriga a Amazônia e outros ecossistemas críticos para as mudanças climáticas. O que acontece lá é importante para todos nós e o voto dos jovens é fundamental para impulsionar a mudança para um planeta saudável”, tuitou.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.