Brasil busca vacinas para Covid-19 em um mundo de novos surtos, escassez, notícias mundiais e notícias importantes

SÃO PAULO (BLOOMBERG) – O Brasil está lutando para encontrar vacinas para lidar com um dos piores surtos de Covid-19 do mundo, à medida que surtos ressurgentes e escassez de suprimentos entre os principais fornecedores diminuem o ritmo de entregas.

O ministro das Relações Exteriores, Carlos Franca, disse aos legisladores nesta quarta-feira (28 de abril) que busca vacinas de diversos parceiros, incluindo 30 milhões de doses de Sinopharm da China, mais oito milhões de doses da injeção AstraZeneca produzidas na Índia, além de qualquer excedente dos Estados Unidos. .

O problema, acrescentou, é o agravamento da pandemia na Índia e a escassez de suprimentos em todo o mundo deixou o Brasil com dificuldades para obter as doses.

“A falta de vacinas e outros medicamentos não é um problema só do Brasil, o vírus está prejudicando o mundo todo”, disse Franca durante sessão da comissão de relações exteriores da Câmara dos Deputados.

“Quem poderia esperar que a Índia enfrentasse tal surto?”

Enquanto isso, o presidente dos EUA, Joe Biden, indicou que dará prioridade ao seu aliado de longa data, a Índia, ao compartilhar o excedente de vacinas da América.

O estoque da AstraZeneca nos Estados Unidos ultrapassou 20 milhões de doses no início deste mês e tem crescido desde então, levando a pedidos de doação a países que lutam para encontrar vacinas. A falta de segurança da vacina para os brasileiros contribuiu para a renúncia de Ernesto Araujo ao cargo de chanceler no mês passado.

A pressão sobre o presidente Jair Bolsonaro aumenta à medida que os legisladores investigam a resposta de seu governo a uma pandemia que ceifou a vida de quase 400.000 brasileiros, enquanto as esperanças de uma implementação mais rápida da vacina diminuem.

O Brasil vacinou totalmente apenas 6% de sua população e a taxa de inoculações em maio deve cair de 14,5 milhões para 32,4 milhões.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, também não ajuda. Em um evento com especialistas em saúde na terça-feira, ele disse que a China havia “criado o vírus” e que suas vacinas são menos eficazes do que as produzidas por empresas americanas.

Sem responder diretamente, o embaixador de Pequim em Brasília em uma postagem no Twitter lembrou a todos que a China é o principal fornecedor de vacinas do Brasil.

Guedes mais tarde recuou em seus comentários, dizendo que os comentários eram “infelizes” e insistindo que era um mal-entendido. Omar Aziz, o senador que está liderando a investigação do Congresso sobre a resposta de Bolsonaro à pandemia, não se acalmou.

“Guedes se acha um cientista quando fala da vacina chinesa”, disse Aziz à GloboNews em entrevista. “Devemos agradecer à China por ter uma vacina.”

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *