Brasil e Argentina desenvolverão uma moeda comum para reduzir a dependência do dólar americano

O Brasil e a Argentina estão buscando uma maior integração econômica, incluindo o desenvolvimento de uma moeda comum, disseram o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e o líder argentino Alberto Fernández em um artigo conjunto que escreveram.

“Pretendemos superar as barreiras ao nosso câmbio, simplificar e modernizar as regras e incentivar o uso das moedas locais”, diz o texto publicado no Perfil do site argentino.

“Também decidimos avançar nas discussões sobre uma moeda sul-americana comum que possa ser usada tanto para fluxos financeiros quanto comerciais, reduzindo os custos das operações e nossa vulnerabilidade externa”, diz o artigo.

No começo do dia, o tempos financeiros informou que as nações vizinhas anunciarão esta semana que estão iniciando os trabalhos preparatórios para uma moeda comum.

O plano, que será discutido em cúpula em Buenos Aires esta semana, terá como foco uma nova moeda, que o Brasil sugere chamar de “sul(Sul), poderia impulsionar o comércio regional e reduzir a dependência do dólar americano, relatou citando funcionários.

“Haverá… uma decisão de começar a estudar os parâmetros necessários para uma moeda comum, que inclui desde questões fiscais até o tamanho da economia e o papel dos bancos centrais”, disse o ministro da Economia da Argentina. Sérgio Massa disse ao tempos financeiros.

“Seria um estudo dos mecanismos de integração comercial”, disse ele, acrescentando: “Não quero criar falsas expectativas. . . É o primeiro passo de um longo caminho que a América Latina deve percorrer”.

O ministro argentino indicou que, embora inicialmente seja um projeto bilateral, a iniciativa será oferecida a outras nações latino-americanas e acrescentou: “São Argentina e Brasil convidando o resto da região”.

De acordo com Segundo a estimativa de, uma união monetária abrangendo toda a América Latina representaria cerca de 5% do PIB global, enquanto a maior união monetária do mundo, o euro, abrange cerca de 14% do PIB global quando medido em termos de dólares.

Políticos dos dois países já discutiam a ideia em 2019, mas foram recebidos com resistência do Banco Central do Brasil na época.

La iniciativa, que inicialmente comenzó como un proyecto bilateral, luego se extendería para invitar a otras naciones latinoamericanas, según el informe, y agregó que se esperaba un anuncio oficial durante la visita del presidente brasileño, Lula da Silva, a Argentina que comienza el domingo à noite.

(Fonte: Reuters, FT)

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.