Brasil: Plano de Ação de Emergência para Inundações (EPoA) Atualização da Operação DREF nº 2 MDRBR010 – Brasil

Resumo das principais revisões feitas no plano de ação de emergência:

A Cruz Vermelha Brasileira (BRC) lançou esta operação DREF em 16 de dezembro de 2021, para responder às necessidades humanitárias devido às fortes chuvas e inundações no estado da Bahia. Com o desenvolvimento do aumento das chuvas e inundações relacionadas no sul do estado de Minas Gerais, a Sociedade Nacional solicitou uma primeira prorrogação em 24 de janeiro de 2022 (ver Atualização de operação nº 1), com aumento do financiamento para ampliar a cobertura geográfica da operação e realizar ações de resposta em ambos os estados.

Nas últimas semanas, as chuvas aumentaram em outras regiões do país (Petrópolis, Angra dos Reis, Paraty e Mesquita). Como resultado deste novo cenário, a Sociedade Nacional tem respondido às áreas afetadas em coordenação com as autoridades locais. A equipe de resposta vinculada à operação de inundação da DREF respondeu às novas demandas de apoio das áreas geográficas afetadas. Esse cenário gerou alguns atrasos na operação inicial na Bahia e Minas Gerais, o que levou a um pedido de segunda prorrogação de prazo (sem aumento de recursos).

O BRC, com o apoio da IFRC, continuará a implementar o plano de ação para fornecer a 4.000 pessoas (800 famílias: 650 na Bahia e 150 em Minas Gerais) abrigo, meios de subsistência, saúde e água, saneamento e apoio à higiene durante um período adicional mês, até 31 de maio de 2022.

A. ANÁLISE DA SITUAÇÃO

Descrição do desastre

La temporada de lluvias en Brasil comenzó un mes antes de lo previsto a principios de noviembre de 2021. Las fuertes precipitaciones, incluido el paso de un ciclón subtropical en Bahía el 7 de diciembre de 2021, han provocado inundaciones y deslizamientos de tierra en el sureste do Brasil. A Cruz Vermelha Brasileira (BRC) lançou esta operação DREF para responder às necessidades humanitárias no estado da Bahia e, após mais chuvas, estendeu a operação para Minas Gerais. Em meados de fevereiro e início de março, novas chuvas afetaram outras áreas do país (Petrópolis, Angra dos Reis, Paraty).

A Bahia teve 155 de seus 417 municípios em estado de emergência, com pelo menos 27 pessoas mortas e 523 feridas por enchentes e deslizamentos de rochas. De acordo com o relatório da Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado da Bahia (Sudec), cerca de 965.643 pessoas foram afetadas pelas enchentes na Bahia. As principais áreas afetadas no extremo sul estão nos municípios de Medeiros Neto, Jucuruçu e Itamaraju, onde a Cruz Vermelha Brasileira (CRB) vem realizando sua resposta. Além disso, em 11 de abril, um total de 449 dos 853 municípios mineiros estão em estado de emergência. Mais de 24 mortes foram registradas e estima-se que mais de 70.000 pessoas foram deslocadas pela emergência.

Nos meses de fevereiro e abril de 2022, as cidades de Petrópolis, Angra dos Reis, Paraty, todas no estado do Rio de Janeiro, foram afetadas pelas chuvas. Em Petrópolis (cidade localizada em um vale, região serrana) 260 mm de chuva caíram em apenas duas horas, causando deslizamentos de terra com 2.917 pessoas afetadas, 234 mortos e 5.000 casas danificadas. No dia 1º de abril de 2022, as chuvas atingiram as cidades de Angra dos Reis e Paraty, localizadas em uma região litorânea, onde a zona de chuvas fica entre as montanhas arborizadas e o litoral. Em Paraty, as chuvas atingiram 3.600 casas, com 7 mortes, 75 desabrigados e 400 deslocados. Na vizinha Angra dos Reis houve 11 mortos, 314 desabrigados e 10 desaparecidos.

Atores humanitários, incluindo a Cruz Vermelha Brasileira, realizaram avaliações de danos e análises de necessidades durante o fim de semana de 10 de dezembro de 2021 na Bahia e 17 de janeiro de 2022 em Minas Gerais. Em cada estado, instituições federais, estaduais e municipais estão trabalhando juntas em ações assistenciais e de recuperação antecipada. Os Centros de Operações de Emergência (COE) estabelecidos na Bahia e Minas Gerais têm participado ativamente do COE de Itamarajú na Bahia. Essa alocação do DREF abrange as ações de resposta da Sociedade Nacional e complementa o plano geral de ação do Governo Federal. Enquanto isso, as equipes de resposta da Cruz Vermelha Brasileira também estão respondendo em áreas recentemente afetadas por meio de apoio à Filial do Rio de Janeiro.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.