Brasil vai investigar credores em caso de ‘fraude’ de cartão de crédito

Cerca de 23 instituições financeiras, incluindo grandes bancos do país sul-americano, serão investigadas por saques de empréstimos consignados que teriam sido cobrados por meio de cartões de crédito não solicitados.

O Nubank nega oferecer tal produto, acrescentando que não está autorizado a fazê-lo. (arquivo Reuters)

O governo do Brasil anunciou que vai investigar 23 instituições financeiras, incluindo os principais bancos do país, por supostamente emitir cartões de crédito não solicitados quando os clientes se inscreveram para empréstimos consignados e cobrar taxas não divulgadas.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública disse em comunicado na quinta-feira que os credores forneceram aos clientes cartões de crédito não anunciados quando eles assinaram esses empréstimos, que são pagos por meio de deduções automáticas do salário do mutuário.

A investigação segue reclamações de uma agência de proteção ao consumidor do estado do Rio de Janeiro, acrescentou, de que alegações de saques de empréstimos consignados teriam sido cobrados por meio de cartões de crédito não solicitados.

Entre os investigados estão o Banco Bradesco SA, Itaucard do Itaú Unibanco Holding SA, Banco Pan SA, Nubank, Banco Santander Brasil SA e os credores estatais Banco do Brasil SA e Caixa Econômica Federal.

Os credores negam as acusações.

O grupo de lobby bancário brasileiro Febraban disse em nota que das 23 instituições mencionadas na investigação, apenas sete estão autorizadas a conceder crédito consignado.

O Itaú disse em comunicado à agência de notícias Reuters que não opera cartões de crédito por meio de empréstimos consignados e que prestará quaisquer esclarecimentos adicionais solicitados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública do Brasil.

O banco estatal Banco do Brasil disse que “há quatro anos não emite cartões de crédito consignado e está à disposição das autoridades para maiores esclarecimentos”.

O Santander Brasil disse que soube da investigação por meio da mídia e não foi contatado pelas autoridades. Acrescentou que “todos os seus produtos e serviços cumprem o regulamento e que está à disposição dos órgãos competentes para prestar esclarecimentos”.

O Nubank também negou oferecer tal produto, acrescentando que não está autorizado a fazê-lo.

O Banco Pan disse que está em contato com as autoridades para obter informações oficiais e “reforça sua postura de respeito aos clientes e seu compromisso com o combate à fraude”.

O Bradesco se recusou a comentar, enquanto a Caixa não respondeu aos pedidos de comentários.

Fonte: Reuters

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.