Brasil: Voluntários prestam apoio nutricional e de saúde ao povo Xavante – Brasil

A obra faz parte dos esforços da Operação Mato Grosso, iniciativa salesiana

(MissionNewswire) Pastoral Infantil da Paróquia Santo Domingo Sávio em Campinápolis, Brasil, visitou recentemente a aldeia Xavante de Santa Fé, onde vivem 120 pessoas em 10 moradias. A visita faz parte dos esforços voluntários da Operação Mato Grosso, uma iniciativa salesiana que oferece apoio voluntário para ajudar as comunidades indígenas locais.

Um mês antes, a equipe havia estado lá avaliando a saúde de crianças em sério risco de desnutrição e voltou para acompanhar essas crianças. Os membros da equipe constataram que a maioria teve um aumento significativo de peso, apresentando melhora e recuperação. Duas das crianças que estavam sendo acompanhadas foram internadas na Casa de Saúde Indígena (CASAI) para melhor atendimento de saúde. Durante esta visita e durante o mês de apoio, as famílias receberam doações de cestas básicas, e em dias específicos foi servido um prato quente a todos os moradores.

A equipe da Pastoral Infantil é composta pelo diácono salesiano José Alves, Delma Cristina, nutricionista da CASAI, Djanira Ro’ojadwe Tsi’ewadi, administradora indígena, e Dieter Willems, voluntário belga.

Willems também participou de atividades com a equipe do projeto Assistência Missionária Móvel, coordenada por Luís Würstle, que esteve em Campinápolis para manutenção de poços artesianos em diversas aldeias da região. Willems, economista, passou cerca de um mês na área indígena de Mato Grosso, prestando atividades missionárias.

Também foi voluntário durante este período o Dr. Paolo Fior, pneumologista italiano, que colaborou com os Salesianos em junho. Dr. Fior disse: “Minha experiência tem sido estar com as pessoas, especialmente o povo Xavante. Eu tenho ajudado no centro de saúde porque eles realmente precisam de serviços de saúde para muitas das doenças que os afetam. Há muitas crianças nas aldeias que precisam. O acesso aos cuidados de saúde é difícil, por isso é bom poder ajudá-los em suas próprias aldeias.”

O Dr. Fior acrescentou que cuidar da saúde dos indígenas é uma forma de ajudar a preservar a cultura do povo. “Percebi que esse trabalho é muito importante. Também é muito importante para a cidade de Campinápolis saber que tem gente que vai até a última cidade para cuidar também. A gente prepara comida para eles para mostrar que tem gente que se preocupam com eles, que se preocupam com sua saúde, que amam e respeitam o povo Xavante”.

Segundo o Banco Mundial, a pandemia de COVID-19 teve um impacto devastador no Brasil e a pobreza triplicou em 2021. Quase 17 milhões de pessoas caíram na pobreza no primeiro trimestre do ano e a taxa de pobreza é agora maior do que há uma década. atras do. Os pesquisadores estimam que 12,8% da população brasileira, cerca de 27 milhões de pessoas, vivem agora abaixo da linha da pobreza.

Há também desigualdades no acesso à educação e na eficiência educacional. Essas desigualdades são maiores para crianças e jovens pobres, que vivem em áreas rurais ou têm escolaridade obrigatória incompleta. Salesianos que trabalham com jovens pobres e suas famílias no Brasil desenvolvem programas e oferecem aos jovens oportunidades para melhorar sua educação e habilidades.

Fontes:

Foto ANS (permissões e orientações de uso devem ser solicitadas ao Resposta)

RESPOSTA — Brasil – Salesianos e voluntários entre os indígenas, para repartir o pão, alimentar os famintos, curar os doentes

Missões Salesianas — Brasil

Banco mundial — Brasil

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.