Brasileiro é premiado na Apple com um jogo que coloca o usuário em um mar poluído – 23/06/2020

Brasileiro é premiado na Apple com um jogo que coloca o usuário em um mar poluído - 23/06/2020

A maior preocupação do mundo no momento é o novo coronavírus, mas a preservação do meio ambiente não está muito atrás. Jessica Matsuura, 21, deu sua contribuição ao último tema, criando um jogo temático sustentável. Com isso, ela conseguiu não apenas ser premiada em um desafio de programação da Apple, mas também teve a oportunidade de conversar com um dos executivos da empresa sobre o assunto.

Matsuura era um dos 350 alunos premiados no Rápido aluna Desafio Apple 2020: Destes, cerca de 80 eram brasileiros. Outra aluna brasileira, Maria Fernanda. Azolin, a empresa destacou o aplicativo como um dos três primeiros da competição na semana passada.

Na segunda-feira (22), antes da abertura da conferência anual de desenvolvedores da Apple, o WWDC 2020 Matsuura participou de uma reunião virtual com Lisa Jackson, vice-presidente da empresa para iniciativas ambientais, políticas e sociais. A jovem foi uma das seis alunas escolhidas para falar com o executivo e o único brasileiro.

Seu jogo é The Sea Turtle, que carimbo no descarte adequado de lixo. “Fiquei muito feliz com o resultado [de ser uma das estudantes premiadas] e ver do que somos capazes é muito legal. Mas eu realmente não esperava isso. Existem projetos muito bons. É muito gratificante. Estou super empolgado em participar dos eventos desta semana “, disse Matsuura Inclinação.

A conferência da WWDC acontecerá esta semana e Matsuura Você participará de fóruns e reuniões virtuais com profissionais da Apple.

Estudante Jessica Matsuura em conversa com Lisa Jackson, executiva da Apple

Imagem: Divulgação

Jogo que vai além do entretenimento.

Nascido em São José dos Campos, interior de São Paulo, Matsuura se mudou sozinho para Curitiba para estudar design gráfico na UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), há três anos.

Você conhece essa história sobre ouvir algo de um amigo de um amigo? Foi assim que o aluno aprendeu sobre a existência do programa Apple para incentivar jovens desenvolvedores (a Apple Developer Academy). Por curiosidade, ele decidiu se inscrever. Depois de aprovada, ela começou a aprender programação e ter mais contato com uma área que ainda não conhecia: experiência do usuário.

Comecei a perseguir, vi alguns vídeos e minha visão mudou completamente. Nunca consegui trabalhar com a experiência do usuário, desenvolvendo produtos para dispositivos móveis [como celular]. Entrei neste mundo e vi que realmente gostei

Durante o treinamento, o aluno também conheceu o Swift Student Challenge, o desafio de programação da Apple para os alunos e decidiu participar. A exigência da competição neste ano foi o desenvolvimento de uma cena interativa baseada na linguagem de programação da empresa, Swift, que durou até três minutos.

Em seguida, o aluno criou um jogo com o objetivo de ir além do entretenimento. Ela queria que os jogadores pensassem na real importância da sustentabilidade e no descarte adequado de resíduos.

Captura de tela do jogo The Sea Turtle, criado pela brasileira Jessica Matsuura, concedido pela Apple - Press release - Press release

Captura de tela de The Sea Turtle, criada pela brasileira Jessica Matsuura

Imagem: Divulgação

O jogo “The Mar Tartaruga: Proteger mar Tartaruga do desperdício no oceano“(Proteger as tartarugas marinhas do lixo no oceano) foi simplificado, explicou o brasileiro durante o encontro com Lisa Jackson “Na primeira fase, o usuário precisa se esquivar do lixo no mar, o que é fácil. Na segunda fase, o jogador precisa se esquivar do lixo e encontrar comida, o que é mais difícil porque ele também tem a visão do tartaruga [com cenas mais escuras]”

Embora simples, a idéia de usar a sustentabilidade como tema do jogo não veio tão rapidamente para o aluno. Foram necessários alguns dias intensos de reflexão e várias mudanças nos planos antes que o desenvolvedor decidisse o que mais gostaria de fazer. Acessibilidade, diversidade e sustentabilidade foram os temas que lhe passaram pela cabeça.

“Escolhi a sustentabilidade porque acho que só percebemos quando um desastre acontece. Então todos esquecem e vivem a vida normalmente novamente”, explicou. Inclinação.

Após as etapas de programação e criação das ilustrações (a área que o aluno mais dominou), chegou a hora de enviar a inscrição para o concurso. Matsuura Você esperou até uma hora antes do prazo para enviar sua solicitação. O perfeccionismo de fazer pequenos ajustes foi o “culpado”.

“E eu queria fazer isso de uma maneira muito pacífica, um formato de jogo, uma experiência empática. Eu queria que as pessoas pensassem um pouco depois de usar o jogo”, disse ele.

Lisa Jackson, vice-presidente de iniciativas ambientais, políticas e sociais da Apple - Brooks Kraft / Apple - Brooks Kraft / Apple

Lisa Jackson, vice-presidente de iniciativas ambientais, políticas e sociais da Apple

Imagem: Brooks Kraft / Apple

A sustentabilidade foi mesmo o tema central da pergunta da mulher brasileira feita ao executivo da Apple. A dúvida do aluno girava em torno de qual iniciativa a Apple acreditava ser interessante para as empresas adotarem em favor do meio ambiente.

“Seria energia limpa. Uma solução muito boa e ainda mais barata. Estamos fazendo muito progresso nisso e é o meu favorito. Acho que o mais importante é reduzir o desperdício. Quanto mais podemos reciclar, mais podemos ajudar o planeta”. Lisa Jackson disse

Futuro para o brasileiro

A aluna já tem uma idéia concreta do caminho que deseja seguir. Design de produto com foco na experiência do usuário é o que ele mais gosta. Quanto à programação, deixará um pouco mais de lado.

“Acho que ter desenvolvido as coisas do zero, por si só, melhorará muito a comunicação com os desenvolvedores. E como designer de dispositivos móveis, terei contato com desenvolvedores o tempo todo. Essa experiência imersiva na área é importante porque os dois lados devem ser muito perto”. ele estressou.

No bate-papo, a mensagem de Lisa Jackson para os alunos que pensam em suas carreiras é simples: “Você pode não saber para onde está indo. Certamente não sabia. Mas, como eu vejo agora, sempre foi o resultado de continuar lutando por justiça , seja para o planeta ou para as pessoas, e também [tendo] uma forte crença em capacitar as pessoas “.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.