Cadu Barcellos, colaborador da Porta dos Fundos, morto no Rio de Janeiro em suposto roubo | Brasil

O diretor e produtor brasileiro Cadu Barcellos, 34, que colaborava com o famoso canal de comédia “Porta dos Fundos”, foi morto a facadas na manhã de terça-feira no Rio de Janeiro em um suposto assalto.

A informação foi confirmada pela polícia e amigos do cineasta, que atualmente era assistente de direção do programa. Greg News, apresentado pelo ator e escritor Gregorio Duvivier e transmitido semanalmente na plataforma da HBO.

Barcellos também dirigiu um dos episódios que compõem o filme 5x Favela – Agora para nós, exibido no Festival de Cannes 2010, entre outras obras que realizou para o cinema e a televisão.

Cadu Barcellos havia saído da Pedra do Sal, considerada o templo do samba carioca, em um veículo que uma amiga havia solicitado por meio de um aplicativo de transporte, do qual saiu alguns quilômetros depois, próximo a uma entrada do metrô no centro de Rio de Janeiro. onde ele foi supostamente atacado.

De acordo com o portal de notícias G1, o cineasta foi visto a gritar por socorro por volta das 3h30 (hora local, 6h30 de Lisboa), após ter caído sem vida ao solo.

A Polícia Militar do Rio de Janeiro afirmou em nota que foi alertada para o ocorrido, tendo ido ao local onde encontrou o corpo do jovem cineasta que já não vivia.

O Departamento de Homicídios da Polícia abriu uma investigação para esclarecer as causas da morte e localizar o responsável. O relatório policial identificou “ferimentos causados ​​por um instrumento cortante, principalmente na região do tórax”, segundo as autoridades.

“Possivelmente Cadu foi morto por um telefone celular, um Riocard [passe de transporte do Rio de Janeiro] e alguns reais ”, disse ao G1 o amigo produtor William Oliveira.

Barcellos dedicou grande parte de sua carreira cinematográfica a mostrar a dura realidade das favelas cariocas.

Ele foi o diretor e roteirista da série Mais x despejo (2011), o canal Multishow e o documentário Pacificação 5x (2012), bem como criador do canal da comunidade Tide vive, no qual colaboram os moradores do bairro da Maré.

Cadu Barcellos promoveu projetos e ações audiovisuais para melhorar a saúde e a equidade de gênero nas comunidades do Rio de Janeiro.

Participou também como bailarino do “Corpo de Dança da Maré”, que o coreógrafo Ivaldo Bertazzo dirigiu por três anos e ofereceu shows em diferentes regiões do Brasil.

Após a morte do cineasta, a Porta da Fundos emitiu nota lamentando a “notícia devastadora”.

“O Cadu era uma pessoa brilhante e alegre, além de um profissional talentoso, um pai querido e amigo de toda a equipe. Ela vinha para o trabalho sempre sorrindo, às vezes com o filho no colo, e nos fazia rir o dia todo, mesmo nesse ano sombrio. Nada vai reparar essa perda ”, disse o canal de comédia em nota no Twitter.


Gregorio Duvivier também fez uma homenagem ao produtor, na rede social Instagram, lembrando seu talento e bom humor.

“Cadu, alegria de todos os ‘zooms’ [ferramenta de videoconferências], toda vez que ele abria o microfone era para nos fazer rir. Não sei como fizemos três temporadas sem você, e não sei como faremos no futuro. Nada mais faz sentido. Prodígio do audiovisual, gigante em todos os sentidos, quase dois metros de amor, criatividade, humor e diversão. (…) Cadu morreu, vítima do que parece ter sido um assalto. Jamais esqueceremos seu sorriso ”, lembrou o comediante brasileiro.


You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *