Capacete de Russell quebrou o apoio de cabeça após bater em cascalho da F1 Brasil

a Mercedes O piloto estava fazendo uma segunda tentativa de uma volta rápida no Q3 em um circuito molhado quando saiu da estrada na curva 4 depois de travar as rodas traseiras na entrada e tocar a grama.

Havia pouco que ele pudesse fazer para desacelerar e ele acabou saltando por uma armadilha de cascalho antes de acabar na estrada de fuga perto das barreiras de pneus.

Mas depois de tentar fazer uma curva para se orientar na direção certa, suas rodas traseiras ficaram presas no cascalho e ele foi nocauteado.

Enquanto as condições meteorológicas deterioradas significavam que ninguém era capaz de melhorar seus tempos, deixando Russell ainda em terceiro no grid. kevin magnussen conseguiu uma surpreendente pole position, o britânico admitiu no regresso às boxes que a largada não foi sem consequências.

Questionado sobre o que ele estava pensando enquanto corria para fora da estrada, ele disse: “O que está passando pela minha cabeça é que eu estava com uma dor de cabeça muito forte. Eu quebrei o apoio de cabeça porque estava batendo muito com a cabeça. Foi uma experiência e tanto. .” desagradável”. .

“Então eu perdi a traseira. Eu chutei. Eu queria fazer um 360 e então mergulhei as traseiras no cascalho. Então provavelmente não é a escolha mais inteligente que eu já fiz. Mas acabou que sabíamos que a primeira volta era tudo.”

Russell disse que foi difícil tirar o máximo proveito do carro naquela primeira volta crítica do Q3 porque a chuva estava piorando as condições na segunda.

George Russell, Mercedes W13

Foto por: Steve Etherington / imagens de automobilismo

“É uma mistura de emoções, porque obviamente fomos um dos últimos carros a sair na qualificação e foi uma experiência única”, disse ele.

“À medida que a volta continuava a chuva caía cada vez mais forte, cheguei à última curva e estava muito mais molhada do que na volta anterior. Por isso tivemos de ser muito cautelosos.”

“Mas muitos parabéns ao Kevin [Magnussen] e Haas. É disso que trata a Fórmula 1 e o esporte; ter alguns resultados loucos como este. Mas para nós o P3 é um bom ponto de partida para o sprint.”

Leia também:

parceiro de Russel Lewis hamilton ele não se divertiu tanto sendo o último carro na pista, pois enfrentou as piores condições e terminou em oitavo no grid.

“Acho que foi difícil”, explicou Hamilton. “É difícil ver as condições, é difícil ver as gotas de chuva e estava muito escuro.

“Eu fui o último carro a sair, então acho que tive a primeira parte da chuva ou algo assim. Provavelmente perdi muito calor no pitlane também. Foi um pouco lamentável, mas George fez um ótimo trabalho e parabéns.” para Kevin.”

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.