Com 16 finalizações a mais que Papai Noel, Bonamigo resume a derrota de Remo em casa: “A bola castiga” | remo

Quase o oposto do que aconteceu contra o Treze na semana passada, Remo sofreu nesta sexta-feira. Melhor ainda em campo, com mais posse de bola e uma grande diferença no número de finalizações, os Azulinos foram derrotados pelo Santa Cruz por 2 a 0, no centro do Mangueirão. O resultado deixou o técnico Paulo Bonamigo bastante frustrado, já que a vitória sobre o líder do Grupo A praticamente levaria à classificação da Série C.

– Temos que aprender, é claro. Muito triste, pois vimos a expectativa do nosso torcedor, com muita vontade por esta classificação, mas vamos continuar trabalhando. Temos três partidos para buscar e continuaremos com todas as nossas forças – reforçou o gaúcho.

O Santa Cruz entrou em campo cheio de desfalques, seja por lesão ou contaminação pela Covid-19, mas também sem um peso nas costas, já que o time já está matematicamente garantido na segunda fase da Série C. Para Bonamigo, Remo interveio . ansiedade de tentar balançar as redes logo.

– A questão não é treinar mais nem treinar menos. É uma questão de ter mais tranquilidade na definição, talvez a equipe estivesse um pouco ansiosa para fazer esse gol, que nos traria o resultado. Com o passar do tempo, embora tivéssemos o controle do jogo, a cada minuto que passava a equipe melhorava, dominando mais o rival, pois nos primeiros 15 minutos o Santa Cruz fez um jogo equilibrado, mas aos poucos controlamos completamente, como fazia toda a segunda metade. Mas a bola teimosamente não queria entrar.

Acho que, em termos de performance, no futebol não se pode falar de resultado injusto, porque tem a eficiência e a competência do rival para saber aproveitar as poucas oportunidades que teve. Nós, com um grande volume de ações, tivemos muitas oportunidades de fazê-lo, a bola era teimosa e sabemos disso: quando não entra, a bola bate ”.

– Paulo Bonamigo, treinador de remo

Leão fez 21 chutes a gol contra 5 do Coral de Pernambuco. Houve tentativas de bola aérea, chutes de fora da área, cobranças de falta e até cobrança de pênalti do estreante Felipe Gedoz, que foi impedido duas vezes pelo goleiro Maycon Cleiton.

– Estamos treinando finalização todos os dias, tanto no último passe quanto na presença da área, chute de fora. Isso é treinado. Temos que ter um pouco mais de tranquilidade no jogo, para que possamos nos desenvolver nesta área e buscar o resultado. Mesmo a equipe marcando alguns gols, é evidente que hoje pecamos nessa questão, alguns muito mais para o goleiro do Papai Noel, que foi o melhor em campo. Mas enfim, é um momento que temos que manter a calma, continuar trabalhando e saber que temos um compromisso difícil, mas que buscamos a classificação contra o Botafogo-PB – resumiu Bonamigo.

Com Eduardo Ramos, Tcharlles e Salatiel como ausências, Eron foi a referência do ataque – Foto: Samara Miranda / Remo

Remo tem mais três jogos pela frente na primeira fase da Série C: dois jogos fora, contra Botafogo-PB e Manaus; e o clássico com o Paysandu, na rodada final. A meta traçada pelo comitê técnico é chegar a pelo menos 29 pontos, o que historicamente é suficiente para permanecer no G4 ao final da primeira fase.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *