Com a perda de Nubank, ainda é seguro manter seu dinheiro na conta?

ELE Nubank é sem dúvida um dos fintechs – empresas financeiras digitais – que têm mais clientes no Brasil. Fundada em 2013, a marca já conta com 26 milhões de usuários, dos quais 13 milhões são do serviço de cartão de crédito, o famoso “roxinho”.

Apesar do crescimento exponencial em tão pouco tempo, no período entre 2018 e 2019, o prejuízo líquido da empresa mais do que triplicou. De acordo com o último balanço divulgado pelo próprio Nubank, o montante passou de R $ 100,3 milhões para R $ 312,7 milhões ao longo de um ano (percentual de perda anual de 211,8%).

Os motivos que fizeram com que as perdas de Nubank triplicassem no período estão diretamente ligados à questão das despesas, que foram elevadas. Dentre elas, despesas com intermediação financeira de R $ 841,4 milhões (aumento de 36,7%), despesas de pessoal de R $ 340,32 milhões (aumento de 88%), além de despesas administrativas e operacionais, com o aumento 202,4% e 145,4%, respectivamente.

Contrapeso positivo

Embora os gastos tenham aumentado, é importante notar que o fintech apresentou resultados positivos ao mesmo tempo, seja no crescimento das vendas em todos os segmentos, seja nas receitas da intermediação financeira, que alcançaram a marca de R $ 528,8 milhões, expandindo 165,5% entre 2018 e 2019.

Na base de clientes, o aumento foi de 465% e no saldo da carteira de operações, o aumento foi de 78%.

Outro setor de crescimento é o da receita de serviços da empresa, que, em relação a 2018, cresceu 90%, atingindo R $ 914,6 milhões no ano passado. A origem do aumento vem principalmente das tarifas de intercâmbio auferidas com o uso dos cartões.

Ainda é seguro manter o dinheiro na conta do Nubank?

A resposta é sim! Isso porque, desde seu lançamento, fintech tem fornecido notícias o tempo todo aos usuários. O mais recente foi anunciado no dia 10 de agosto e permitirá aos clientes agendar a troca de depósitos.

Chamado de Redenção planejada, o recurso entrará inicialmente em fases de teste e, após alguns meses, será expandido para toda a base de consumidores. A ferramenta integra a função “Economizar Dinheiro” 2019, que tem remuneração de 100% do CDI, liquidez imediata e cobertura de Fundo Garantidor de Crédito de até R $ 250 mil.

De forma geral, sua aplicabilidade é uma excelente alternativa para quem busca investir em renda fixa em tempos de queda da taxa básica de juros (Selic).

Dito isso, é seguro dizer que o Nubank ainda tem muito a oferecer ao consumidor brasileiro, ávido por novidades do mercado financeiro. A startup provou desde o início que continua sendo uma das melhores opções de serviços financeiros para quem quer fugir das taxas de juros e taxas de manutenção abusivas.

Leia também: Nubank lança cartão de crédito com limite de R $ 50 para novos usuários; Veja porque

You May Also Like

About the Author: Manoel Menezes Kimura

"Analista hardcore. Viciado em Twitter. Comunicador. Jogador sutilmente encantador. Fã de bacon. Fanático por álcool irritantemente humilde."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *