Com um domingo de sol, as pessoas ignoram as regras do uso de máscaras e as praias do Rio ficam lotadas

Com temperatura máxima registrada de 37,5 graus pelo sistema Alert Rio da cidade, no domingo de sol muitas pessoas saíram de casa e foram curtir o dia nas ruas, principalmente os banhistas que, apesar do decreto municipal que proíbe a permanência na areia, mais uma vez ignoraram a determinação e encheram as praias cariocas.

Ao longo da costa, várias pessoas praticavam exercícios, tomavam sol, jogavam altinha à beira-mar ou simplesmente ficavam sentadas na calçada, pois algumas estradas estavam fechadas para o lazer. Porém, apesar da portaria exigindo o uso de máscara, muitos não utilizavam o acessório ou o utilizavam de forma inadequada.

– Eu não conseguia me acostumar com isso. Ele aperta demais e torna a respiração difícil. Por mais que façamos alguns ajustes, é difícil de usar – disse uma senhora que passeava na praia do Leme e não quis se identificar.

Não muito longe dela, um grupo se reuniu na areia – o que ainda não é permitido – longe do maior aglomerado à beira-mar. Para Lucimar Fernandes, 44, que estava com essas pessoas, a decisão de afrouxar as medidas de isolamento social foi precipitada

– Respeitei a quarentena desde o início e só me permiti sair de casa agora. Mas acho que ainda é cedo para reabrir os estabelecimentos. Aqui na praia, por exemplo, as pessoas não respeitam nada. Eles estão se reunindo, parece que a doença não existe mais e que as pessoas não estão morrendo – disse.

Também acompanhada pelo grupo, Cíntia Almeida, 38, é mineira de Juiz de Fora, e disse que quando chegou ao Rio na última sexta-feira, se assustou com o que viu.

– Honestamente, fiquei surpreso. Vi algumas novidades, estava acompanhando a situação antes de chegar, mas não achei que as pessoas abusassem tanto – declarou.

Apesar de discordar da flexibilidade da distância social, todos no grupo estavam sem suas máscaras.

– Chegamos com máscara e só tiramos quando chegamos na praia para beber e conversar, senão fica complicado (risos) – disse Lucimar.

Números de isolamento social

O índice de isolamento social a partir das 16h30 de domingo era de 58%, segundo dados da Prefeitura do Rio em parceria com a Cyberlabs. Esse percentual se refere ao número de pessoas nas ruas em comparação a um domingo normal, antes da nova pandemia do coronavírus. Nos últimos dois domingos a taxa ficou em 54%

O monitoramento é feito por meio da análise de 800 câmeras de videovigilância de entidades públicas e privadas de toda a cidade.

Dos bairros monitorados pela Cyberlabs, os índices de domingo foram os seguintes: Centro (70%), Botafogo (22%), Copacabana (57%), Ipanema e Leblon (59%), na Zona Sul; e Tijuca na Zona Norte, com 45% de isolamento social.

O Centro de Operações também possui parceria com a TIM para monitorar a movimentação de pessoas na cidade. Até as 10h35 deste domingo, a região que mais concentrava a circulação de pessoas era a Zona Oeste, com destaque para o bairro de Campo Grande (7.929 mil), seguida pela Rocinha, na Zona Sul (7.368 mil), Sepetiba (3.813 mil), Realengo (3.604 mil), Guaratiba (3.238 mil).

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *