Como o sistema de segurança de Moscou funciona com o Facebook russo

Cidades Mais Inteligentes

Moscou lançou um dos maiores sistemas de reconhecimento facial do mundo (f9photos)

A cidade de Moscou possui aproximadamente 170.000 câmeras de vigilância espalhadas pela cidade que monitoram cidadãos e turistas 24 horas por dia. O sistema tem sido utilizado para identificar infrações e crimes, bem como monitorar as atividades realizadas pela cidade. O projeto foi administrado pelo governo local nos últimos anos em associação com o setor privado e os cidadãos, reduzindo a necessidade de investimento de dinheiro público. Mais de US $ 250 milhões (R $ 1,3 bilhão) foram investidos nos últimos anos.

Nos últimos cinco anos, o governo de Moscou intensificou os esforços para implantar câmeras na cidade para permitir o monitoramento de atividades em áreas públicas 24 horas por dia, sete dias por semana. As câmeras foram instaladas em locais diferentes, desde a entrada dos prédios até o sistema de metrô, o que ajuda a administração pública a verificar se o lixo é coletado, se algum veículo excede o limite de velocidade, se a neve foi removida. vias públicas ou se havia publicidade ilegal nas ruas da cidade. Além disso, o município diz que as taxas de criminalidade caíram drasticamente após a implementação do sistema. Segundo o departamento de informações de Moscou, 75.000 violações são detectadas diariamente, o que geralmente resulta em multas.

A longo prazo, Moscou planeja usar a tecnologia para registrar evidências e investigar crimes, além de coletar informações durante as eleições. Para esse fim, o município está trabalhando para tornar o sistema mais inteligente, para que as imagens de vídeo possam ser analisadas posteriormente e o próprio sistema começa a emitir multas.

Dmitry Golovin, que chefia a divisão de vigilância por vídeo do Departamento de Informática de Moscou, revelou durante o fórum de Tecnologias de Segurança que das 170.000 câmeras, muitas delas já estão conectadas a um sistema de reconhecimento facial que compara automaticamente imagens ao vivo a bancos de dados. . dados de pessoas procuradas pela polícia, por crimes que já ocorreram ou suspeitos de atividades terroristas. A tecnologia, que também está integrada à versão russa do Facebook, VKontakte, e o banco de dados de passaportes, está em uso há alguns anos, mas apenas recentemente foi vinculado a dados policiais, ajudando a prender seis pessoas procuradas por crimes graves nos primeiros dois meses de operação.

O “Big Brother” russo preocupou moradores e turistas sobre sua privacidade. Segundo funcionários do governo, os serviços de segurança usam as câmeras apenas para prender criminosos e é possível vê-las claramente, mas não há sinais para indicar sua presença.

A Rússia trabalhou em estreita colaboração com a China para desenvolver seu sistema de vigilância por vídeo urbano em Moscou, com a maioria das câmeras instaladas na entrada de edifícios e locais públicos. A população também é livre para conectar suas próprias câmeras ao sistema e todas as informações capturadas são enviadas ao Centro Geral de Armazenamento e Processamento de Dados.

O projeto a apresentar câmeras inteligentes Foi lançado na capital russa em 2017, quando mais de 3.000 câmeras foram conectadas ao sistema de reconhecimento facial. Em 2018, quando o país organizou a Copa do Mundo da FIFA, a iniciativa foi divulgada quando a polícia prendeu mais de 180 pessoas que fugiram durante o evento.

Atualmente, entre a polícia e as agências de segurança federais e regionais, mais de 16.000 usuários têm acesso ao sistema de monitoramento com diferentes níveis de acesso e todas as interações com o sistema são registradas. A polícia, por exemplo, deve solicitar informações específicas, de acordo com a lei atual, e as agências federais podem acessar apenas câmeras nas áreas e rotas pelas quais são responsáveis.

Vários projetos relacionados a novas tecnologias aplicadas à segurança pública ganharam importância no Brasil. O carnaval de Salvador serviu de cenário para projetos piloto de reconhecimento facial que ganharam destaque nacional. A possibilidade de integrar câmaras privadas já existentes na cidade, como comércio, indústria, bares, restaurantes e condomínios, pode ser uma grande oportunidade para melhorar o aparato de segurança sem a necessidade de investimento do governo.

Tecnologias relacionadas a inteligência artificial e o reconhecimento facial estão causando polêmica em todo o mundo. Países com taxas mais altas de criminalidade, como o Brasil, tendem a ser mais flexíveis ao aceitar essa troca de privacidade por segurança.

Você estaria disposto a viver neste urbano “Big Brother”? Deixe seus comentários e aprofundaremos esta discussão. Vejo você no próximo texto.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.