Conjunto Lucas-Bruno pronto para voltar a Taubaté

Taubaté, Brasil, 24 de julho de 2020 – O voleibol é um esporte coletivo, mas as parcerias podem ter um papel importante no sucesso das equipes. E um dos combos mais populares do esporte acontecerá na temporada de clubes 2020-2021, quando o zagueiro Lucas Saatkamp e o armador Bruno Rezende se prepararem para jogar pelo Taubaté na Superliga Brasileira.

O primeiro capítulo da história como companheiros foi em 2005, quando os dois integraram a seleção brasileira que conquistou a medalha de prata no Mundial Sub-19 de Voleibol da FIVB. Desde aquele ano, eles sempre jogaram juntos pelo menos parte da temporada.

Os dois jogadores estão na Seleção Brasileira desde 2006, e já conquistaram inúmeras medalhas de ouro juntos internacionalmente. Isso inclui as Olimpíadas do Rio de 2016, o Campeonato Mundial Masculino de Voleibol FIVB 2010, a Copa do Mundo FIVB 2019 e três edições da Copa do Mundo dos Grandes Campeões de Voleibol da FIVB e da Liga Mundial de Voleibol da FIVB.

“Todos os anos, nas últimas 15 temporadas, passamos pelo menos parte do tempo tocando juntos”, disse Lucas durante uma edição recente do podcast Jornada das Estrelas. “Nascemos no mesmo ano, então jogamos nas seleções juvenis e juvenis ao mesmo tempo e depois quando chegamos à seleção também tivemos um caminho parecido, ainda que o Bruno tenha conseguido sua vaga na lista de jornada um pouco mais cedo. Ele é um grande amigo e alguém que eu realmente admiro, então é ótimo tê-lo como companheiro de equipe novamente. “

E a julgar por seus sucessos anteriores ao jogarem juntos em clubes, os fãs de Taubaté podem estar animados. O zagueiro e o levantador foram companheiros de equipe pela primeira vez entre 2006 e 2010, quando ajudaram a Cimed a conquistar três edições consecutivas da Superliga Brasileira. Eles se encontraram novamente em 2012-2013 e levaram o RJX Volei ao topo do campeonato brasileiro novamente.

Em 2015-2016, eles colocaram sua química em benefício do Modena, que nessa temporada conquistou a Liga Italiana, a Copa da Itália e a Supertaça da Itália. Depois de levar o Brasil à medalha de ouro no Rio, os dois voltaram ao país e ficaram juntos por uma temporada no SESI, onde não ergueram troféus juntos, mas chegaram a duas finais.

Depois de tantos anos juntos, os dois se tornaram amigos íntimos a ponto de Lucas escolher Bruno para ser padrinho desse filho, Theo, que completou recentemente quatro anos.

“Para um armador ter essa conexão com um de seus rebatedores, não é fácil”, disse o recém-nomeado técnico do Taubaté e ex-levantador argentino Javier Weber. “Durante meu tempo com a Argentina tive uma grande associação com Marco Milinkovic e posso dizer o quão benéfico pode ser para uma equipe. Certamente usaremos esse relacionamento em benefício da equipe. “

Tanto sucesso e o excelente relacionamento fora da quadra fazem com que Bruno muitas vezes use Lucas como sua opção de gol, papel geralmente atribuído a atacantes externos ou adversários.

Seu jogo combo mid-web tem sido uma das marcas registradas dos jogos no Brasil na última década e logo estará de volta online em Taubaté.

“Trata-se de confiar um no outro, a confiança deve ser bidirecional”, acrescentou Lucas. “Da mesma forma que ele sabe que pode me preparar mesmo que o passe não tenha sido bom, eu entendo que preciso estar pronto para chutar porque a bola sempre pode vir para mim. Nossa química é ótima e brincamos que, mesmo que não tenhamos praticado juntos este ano inteiro até agora, só precisaremos de alguns dias para estarmos prontos para ir. “

Mais vôlei do Brasil:

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *