Contra o coronavírus, robôs de todo o mundo oferecem gel alcoólico e ajudam idosos 04/04/2020

Contra o coronavírus, robôs de todo o mundo oferecem gel alcoólico e ajudam idosos 04/04/2020

Os robôs estão sendo usados ​​em hospitais para ajudar a combater o coronavírus, mas sua contribuição vai além do ambiente hospitalar. Numa situação de distanciamento social e quarentena, o equipamento robótico é utilizado para diferentes fins, desde a distribuição de máscaras e gel de álcool até a vigilância das ruas.

Veja alguns exemplos que diferentes países estão adotando. É interessante notar que nem todos os países são os mesmos de sempre em tecnologia: EUA. EUA, Japão e China, o que pode significar aumento da adoção de robôs na vida prática de pessoas em crise como essa. Até o Brasil já está preparando seus protótipos.

RoboPony – China

Imagem: AP

Este pequeno robô em ação em Xangai é o RoboPony, fabricado pela empresa chinesa ZhenRobotics. Com seis rodas e 68 centímetros de altura, oferece compras e patrulha shopping centers em busca de pessoas que não usam máscara.

Exatamente: este é um robô que pode, com suas câmeras, descobrir quem não usa máscaras nas ruas. Além do monitoramento, oferece gel de álcool para quem não está protegido e também transmite informações sobre o novo coronavírus.

Pepper – Alemanha

Martin Meissner / AP
Imagem: Martin Meissner / AP

Na semana passada, apresentamos o Cloud Ginger, um robô que trabalha em hospitais e interage como pacientes secretos de 19 anos. Bem, este é, digamos, o irmão dele. Este é o Pepper, também fabricado pela CloudMinds.

Na Alemanha, um supermercado na cidade de Lindlar está usando o robô para alertar os clientes a manter uma distância segura um do outro. Pepper também aconselha sobre o novo coronavírus e pede aos clientes para não estocar mais itens do que o necessário.

Tommy – Itália

Flavio Lo Scalzo / Reuters
Imagem: Flavio Lo Scalzo / Reuters

Em um hospital na cidade de Varese, na região italiana da Lombardia, Tommy trabalha incansavelmente, dia e noite, como enfermeira, ajudando os doentes. Obviamente, estamos falando de um robô, neste caso fabricado pela Omitech.

O papel principal de Tommy no Hospital Circolo é cuidar de pacientes com covid-19. Monitora as informações de cada paciente e as passa para a equipe médica. Além disso, os pacientes podem, através do robô, gravar mensagens que também são ouvidas pelos médicos.

Tudo isso para que a equipe do hospital tenha menos contato com os pacientes e reduza o risco de se infectar com o novo coronavírus. No total, o hospital possui seis pequenos robôs como este.

Sayabot – Índia

V Sivaram / Reuters
Imagem: Sivaram V / Reuters

O governo do estado de Kerala, na Índia, comprou dois robôs como este, da empresa Asimov Robotics. Eles distribuem máscaras cirúrgicas e gel de álcool para as pessoas, além de aconselhá-las sobre o risco do novo coronavírus.

Além disso, os robôs, chamados Sayabots, agora também podem medir a temperatura das pessoas e serão programados para desinfetar os telefones celulares daqueles que deles precisam.

James – Bélgica

Yves Herman / Reuters
Imagem: Yves Herman / Reuters

Devido ao novo coronavírus, visitas a idosos que vivem em asilos são proibidas em muitos lugares. Para que não se sintam tão sozinhos, existe o James, um robô projetado pela empresa ZoraBots.

Na Bélgica, algumas casas de repouso já contam com a ajuda de James, que foi projetado para andar sozinho e fazer chamadas de vídeo. Através do robô, os idosos podem conversar e ver seus parentes. No total, a empresa emprestou 60 robôs sem nenhum custo.

Robô da polícia – Tunísia

Fethi Belaid / AFP
Imagem: Fethi Belaid / AFP

O governo tunisino impôs medidas severas para impedir que seus moradores deixem suas casas. Para garantir que todos respeitem a quarentena, a polícia solicita a ajuda de robôs fabricados no país pela empresa Enova.

Estão equipados com câmeras térmicas e de infravermelho, além de um sistema de alarme e luz. Tudo isso para patrulhar as ruas e denunciar quem está violando as regras de quarentena.

SIGA A INCLINAÇÃO NAS REDES SOCIAIS

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.