Coritiba muda escalação, se emociona no início, mas mostra falhas antigas na derrota para o Bahia | Coritiba

O Coritiba mostrou um novo estilo no jogo contra o Bahia, mas voltou a apresentar problemas antigos, entre eles, os erros de marcação e o backhand nos momentos em que tem a vantagem no placar. O resultado foi uma derrota por 2 a 1 no campo do Couto Pereira.

Com 11 faltas – nove delas devido à Covid-19-, o técnico Pachequinho Ele optou por uma configuração do time em 4-4-2, com dois meio-campistas e dois meio-campistas e sem um tradicional atacante, o que faz Ricardo Oliveira, que também está impedido.

O Coritiba perdeu o controle do jogo aos 20 minutos e ainda fez um gol que derrubou o time – Foto: Matheus Sebenello / NeoPhoto

A diferença no equipamento era o maior espaço para Giovanni Augusto, que acabou sendo correto. O meia marcou nos dois minutos de jogo, após William Matheus receber na esquerda e fazer o passe na área.

Gol do Coritiba! Willian Matheus aproveita um buraco no lado direito da defesa baiana, centro para que Giovanni Augusto empurre a bola para o fundo do gol, ainda no 2º tempo.

O Coritiba foi superior nos primeiros 20 minutos de jogo, mas começou a se retirar sem criar tantas jogadas ofensivas e aproveitando os contra-ataques. Do outro lado estava o estrategista Mano Menezes, que percebeu os erros do Bahia, corrigiu e começou a equilibrar o jogo.

Sem o espaço que tinham, os jogadores do Coritiba voltaram a uma posição mais reativa e aceitando a pressão baiana. A equipe começou a sofrer, viu o adversário se aproximar, mas uma jogada poderia contar uma nova história do jogo. Em chute de Wilson, a bola foi para o meio-campo, Neílton caiu, mas ainda conseguiu levar o excesso para Giovanni Augusto, que chutou e marcou. Só que era inútil. Com a ajuda do VAR, o árbitro anulou o gol ao reclamar uma mão na bola de Neilton.

Não vale a pena! Giovanni volta a empunhar as redes, mas após consulta ao VAR o árbitro aponta um toque de bola para o braço de Neilton, aos 35 do 1º tempo

Não vale a pena! Giovanni volta a empunhar as redes, mas após consulta ao VAR o árbitro aponta um toque de bola no braço de Neilton, aos 35 do 1º tempo

OU objetivo não permitido Foi o último momento do Coritiba no primeiro tempo. Momentos depois ele marcou o empate com a Elber, que recebeu dentro da área com total tranquilidade para enviar às redes. O pesadelo dos erros de marcação voltou especialmente para Rodolfo Filemon. O Bahia ainda quase fez o segundo, quando Gregore foi bloqueando e passando com facilidade até entrar na área. O tiro foi interrompido no último momento por William Matheus.

Gol da Bahia! Na jogada após o gol ser anulado, Elber recebe a bola, corta o placar e empata o jogo, aos 35 do 1º tempo

Gol da Bahia! Na jogada após o gol ser cancelado, Elber recebe a bola, corta o placar e empata o jogo, aos 35 do 1º tempo

Segunda vez com poucas mudanças e mais problemas.

O segundo tempo começou sem grandes mudanças. O equilíbrio das equipes se deveu mais à falta de ofensiva do que a um duelo de estratégias. Sem criar tanto, com o Giovanni Augusto já meio faltando, a primeira boa jogada foi o Robson, na mesa com o Neílton e ele chutou forte, mas aquele goleiro Douglas defendeu muito bem.

Aos 25 minutos Pachequinho decidiu trocar de time e chamou Rodrigo Muniz, mas não apostou em dar mais alternativas para o ataque. Ele tirou Neilton e colocou o zagueiro, o que não mudou a situação. O Coritiba não teve criatividade para atacar e ainda fez o segundo gol, com Zeca recebendo na área e fazendo o gol da vitória do Bahia pouco depois.

Gol da Bahia! Zeca recebe e cruza e a bola passa por todos e vai direto para o gol, aos 26 do 2º tempo

Gol da Bahia! Zeca recebe e cruza e a bola passa por todos e vai direto para o gol, aos 26 do 2º tempo

Pachequinho olhou para o banco, mas não encontrou solução para a equipe. Aos 35 minutos, mais uma mudança de igual para igual: Matheus Oliveira saiu para entrar no Sarrafiore, e o resultado foi o mesmo.

Somente aos 45 minutos a formação tática inicial mudou. O volante Matheus Sales saiu e o atacante Pablo Thomaz entrou, na tentativa de reforçar o ataque, mas também ineficaz.

Apesar dos problemas e do resultado final no placar, o Coritiba manteve um jogo equilibrado na avaliação dos números finais. Foram 14 apresentações pelo alviverde e 15 pela Bahia. Porém essa diferença era de 5 a 0 no início, quando o controle era o time da casa.

A posse de bola sempre foi maior para os baianos e terminou em 53% a 47%. Nos desarmes, os dois times mostraram que a defesa foi eficiente com 11-20 para o Bahia, mas com problemas específicos no Coritiba e que levaram aos gols.

O Coritiba já se prepara para enfrentar o Flamengo no próximo sábado, pela 22ª partida do Brasileirão. O jogo é no Maracanã.

Mais notícias esportivas do Paraná em ge.globo/pr

– Foto: Reprodução

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *