Coronavírus: oprimido, Bulgária para enviar pacientes ao exterior

O ministro da Saúde búlgaro avisou no canal de televisão Nova que se a curva de poluição não diminuísse em 10 a 15 dias, haveria “grandes problemas”.

Tempo de leitura: 2 min

euA Bulgária anunciou no sábado que estava prestes a enviar pacientes Covid-19 ao exterior, enquanto uma quarta onda sobrecarregava seu sistema hospitalar, levando a vizinha Romênia a aumentar suas restrições.

O ministro da Saúde, Stoycho Katsarov, alertou no canal de televisão Nova que, se a curva de poluição não fosse reduzida em 10 a 15 dias, haveria “problemas enormes”.

“A nossa capacidade em termos de mão-de-obra e adeptos está quase esgotada, teremos de procurar ajuda no estrangeiro”, avisou. “Estão em curso conversações com a UE para transferir pacientes para outros países, se chegarmos a esse ponto.”

Contenção não excluída

O ministro acrescentou que não foi excluído um novo confinamento.

Apesar da implantação de um passe de saúde em locais como restaurantes e shopping centers, especialistas relatam que a onda atual pode causar de 5.000 a 9.000 contaminações diárias em duas semanas, neste país de 6,9 ​​milhões de habitantes.

A Bulgária e a Romênia têm as taxas de vacinação mais baixas da UE, contidas pela disseminação de teorias da conspiração e pela desconfiança das pessoas nas autoridades.

Apenas 24% dos búlgaros e 33% dos romenos completaram o curso de vacinação completo.

A Romênia, um país de 19 milhões de habitantes, registrou 1,5 milhão de casos, com 15 mil novas infecções identificadas no sábado.

Dessa forma, o governo reforça as medidas de combate à epidemia, tornando a máscara obrigatória em todo o país a partir de segunda-feira e proibindo eventos como casamentos por 30 dias.

Por sua vez, os centros desportivos, centros comerciais e restaurantes devem exigir um passe de saúde e as pessoas não vacinadas devem respeitar o toque de recolher às 22 horas.

Tantas medidas que podem estar na origem de uma aceleração da vacinação, observada recentemente nos dois países.

O governo romeno anunciou na sexta-feira que 130.000 pessoas visitaram um centro de vacinação nas últimas 24 horas, incluindo um recorde de 86.000 pessoas que receberam sua primeira injeção.

Os centros de vacinação búlgaros também relataram um aumento no atendimento após a implementação do passe de saúde anunciado na quinta-feira, com três vezes mais pessoas recebendo a injeção na sexta-feira em comparação com a semana anterior.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *