Coronavirus Roundup: Alemanha atinge novo recorde de infecção por COVID | Notícias DW

A Alemanha bateu um novo recorde de infecções diárias na quinta-feira, no segundo dia de novas e duras restrições.

Mais de 30.400 pessoas foram confirmadas como infectadas pelo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com o Instituto Robert Koch. O número é um pouco maior do que o relatado inicialmente devido a atrasos nos relatórios de um estado.

Esta é a primeira vez que a Alemanha supera 30.000 novos casos em um dia.

À luz dos números crescentes, o governo federal está intensificando seus esforços de vacinação. O ministro da Saúde, Jens Spahn, anunciou que o programa de vacinação começaria imediatamente após o Natal.

No entanto, uma nova pesquisa descobriu que apenas 47% dos cidadãos alemães desejam ser vacinados o mais rápido possível, muito poucos para imunidade coletiva, para a qual se aplica um limite de 60%. A pesquisa Forsa, encomendada pela RTL e ntv, descobriu que 40% dos entrevistados queriam esperar antes de serem vacinados; enquanto 11% disseram que rejeitariam a vacinação completamente.

DW tem uma visão geral de outros desenvolvimentos importantes em todo o mundo.

Américas

NOS O presidente eleito Joe Biden pode receber a vacina contra o coronavírus na semana que vem, enquanto o vice-presidente Mike Pence vai receber a vacina nesta sexta-feira, em uma tentativa de aumentar a confiança do público na vacina.

“Não quero ficar à frente da linha, mas quero ter certeza de mostrar ao povo americano que é seguro beber”, disse Biden em um evento no início do dia. Aos 78 anos, ele está em uma categoria de alto risco para o vírus.

a US FDA disse que todas as doses adicionais dos frascos de vacina contra o coronavírus da BioNTech-Pfizer podem ser usadas. Isso ocorreu depois que surgiram relatos de que algumas doses estavam sendo descartadas devido a confusão na rotulagem.

Relatórios anteriores indicaram que os farmacêuticos hospitalares estavam jogando fora uma em cada seis doses da vacina depois de encontrar doses adicionais (seis ou sete, ao contrário das cinco que deveriam estar lá) nos frascos. Sem a aprovação do fabricante, os extras tiveram que ser descartados.

Brasil ultrapassou 7 milhões de infecções confirmadas após atingir um recorde diário de mais de 70.000 novos casos de coronavírus. Sua conta continua a ser a terceira maior do mundo, depois dos Estados Unidos e da Índia.

O Ministério da Saúde do país também registrou 936 mortes, mas não incluiu dados do estado mais populoso do Brasil, São Paulo, por motivos técnicos.

Europa

a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) avançou de 12 para 4 de janeiro uma reunião em que a potencial autorização do Vacina MRNA criada pela empresa americana Moderna. Ele disse que conseguiu fazer isso depois de receber um último pacote de dados da Moderna na quinta-feira, antes do esperado.

“Este contém informações específicas para a fabricação da vacina para o mercado da UE”, disse a EMA em um comunicado.

A EMA se reunirá na segunda-feira, 21 de dezembro, para discutir a vacina de mRNA BioNTech-Pfizer.

Alemanha está programado para lançar a vacina contra o coronavírus BioNTech-Pfizer em 27 de dezembro, de acordo com a prefeitura de Berlim. Idosos terão prioridade nas residências.

O anúncio foi feito logo após a Alemanha entrar em um bloqueio estrito para controlar a propagação do vírus. O bloqueio, que entrou em vigor em 16 de dezembro, vigorará até pelo menos 10 de janeiro.

Como membro da UE, a Alemanha tem que esperar que a Agência Europeia de Medicamentos aprove a vacina. A aprovação está prevista para chegar em 23 de dezembro.

França espera-se que receba cerca de 1,16 milhão de vacinas contra o coronavírus até o final do ano, disse o primeiro-ministro Jean Castex. Outros 2,3 milhões de doses devem chegar nos próximos dois meses.

A prioridade será dada aos idosos, aos vulneráveis ​​e aos cuidadores, mas “só no final da primavera vamos abrir o programa de vacinação para toda a população”, acrescentou.

A França encomendou quase 200 milhões de doses, o suficiente para inocular 100 milhões de pessoas. A população total do país é de pouco menos de 70 milhões.

Ásia

QUEM anunciou que China Ele hospedará uma equipe internacional de pesquisadores para investigar o coronavírus no início do próximo ano, de acordo com o diretor regional da OMS para emergências no Pacífico Ocidental, Babatunde Olowokure.

A expectativa é de que a equipe viaje à China no início de janeiro, mas a agência ainda está em negociações com o país sobre onde os pesquisadores poderão entrar no país.

Consulte Mais informação: Verificação de fatos: os países pobres perderão as vacinas COVID-19?

Coreia do Sul marcou seu dia mais mortal com o vírus após a morte de 22 pacientes, elevando o número de mortos do país para 634. O país está lutando contra um aumento nas infecções por coronavírus com mais de 1.000 novos casos por segundo dia consecutivo.

A Agência Coreana de Prevenção e Controle de Doenças disse que a Coréia do Sul tinha 12.209 pacientes ativos, dos quais 242 estavam em estado grave ou crítico.

Depois de registrar uma resposta notável ao vírus nos primeiros dias de sua disseminação, a Coreia do Sul tem lutado para conter o COVID-19 na densamente povoada área metropolitana de Seul. As autoridades agora estão considerando restrições mais duras.

Global

O grupo global de direitos humanos Anistia Internacional divulgou um novo relatório na quinta-feira documentando violações de direitos cometidas pelas forças de segurança em quase 60 países na luta contra COVID-19.

“As forças de segurança em todo o mundo estão violando amplamente a lei internacional durante a pandemia, usando força excessiva e desnecessária para implementar bloqueios e toques de recolher”, disse Patrick Wilcken, vice-diretor do Programa de Assuntos Globais da Anistia Internacional.

O relatório descreve vários casos durante os quais as forças de segurança mataram ou feriram gravemente cidadãos enquanto tentavam impor as restrições ao coronavírus.

“Os abusos horríveis cometidos sob o pretexto de lutar contra o COVID-19 incluem a polícia angolana atirando em um adolescente no rosto por supostamente violar o toque de recolher, e a polícia de El Salvador atirando em um homem nas pernas depois que saiu para comprar comida “, disse Wilcken. .

O grupo de direitos humanos também criticou a repressão dos governos a protestos pacíficos, prisões e detenções arbitrárias, bem como o preconceito racial e a discriminação na aplicação de restrições ao coronavírus.

aw, consulte / msh (AP, Reuters, dpa, AFP)

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *