COVID-19: o MIT desenvolve um sistema que identifica os sintomas do novo coronavírus por meio do telefone celular

Uma equipe de pesquisadores do MIT está desenvolvendo um software capaz de identificar a tosse causada pelo COVID-19, mesmo quando o paciente está assintomático. Com a ajuda de softwares de inteligência artificial e redes neurais, especialistas já conseguiram desenvolver um modelo capaz de distinguir as pequenas diferenças entre a tosse de uma pessoa infectada e a de uma não infectada.

Uma das redes neurais é atribuída para identificar a força vocal do paciente, enquanto outra pode identificar estados emocionais normalmente associados a deficiências neurológicas, como frustração ou apatia. Existe também uma terceira rede que avalia o desempenho respiratório do paciente ao tossir. Finalmente, um algoritmo avalia a degradação muscular e, assim, completa o conjunto de ferramentas necessárias para o diagnóstico.

Até o momento, o IA que articula todos esses elementos tem se mostrado altamente preciso em seus testes, atingindo 98% de análise de tosse para pacientes com diagnóstico médico confirmado de COVID-19, enquanto no caso de pacientes assintomáticos o sistema possui 100 % de avaliações.

Existe um limite claro para esta tecnologia, uma vez que não foi desenvolvida para detectar a presença do vírus em pessoas com sintomas, uma vez que estes podem ser causados ​​por outras condições médicas. A equipe explica que, nesses casos, o AI poderia concluir seu teste com laudo positivo, mas sem certezas, portanto um exame adicional sempre seria necessário.

Observe que o conceito está sem papel, está operacional no laboratório, mas os fabricantes agora estão construindo um aplicativo para o usuário final. A ideia é que possa ser usado como um pré-diagnóstico e não como um teste individual. Como dizem os pesquisadores, essa pode ser a ferramenta que ajuda a decidir se é seguro sair de casa ou se você carrega uma carga viral que a torna uma possível fonte de contágio para outras pessoas.

Os pesquisadores ainda acreditam que este sistema tem o potencial de acabar com a pandemia se o aplicativo pudesse estar sempre ouvindo o que está acontecendo no ambiente ao redor do usuário. No entanto, devido às questões de privacidade que levanta, esta funcionalidade não foi abordada.

Os aplicativos foram identificados como uma solução a ser utilizada no combate ao COVID-19, principalmente na quebra das cadeias de contágio, alertando usuários próximos a pessoas infectadas. A aplicação portuguesa STAYAWAY COVID-19 é uma das aplicações que foram desenvolvidas para o efeito, e os últimos dados indicam que já foi descarregada por mais de 2,4 milhões de pessoas.

You May Also Like

About the Author: Gabriela Cerqueira Corrêa

"Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *