Cristiano Ronaldo é ‘crucial’ para Portugal, insiste Santos, mas ainda é o homem principal?

É preciso voltar ao século passado para ver uma Copa do Mundo que começou sem suspense e foi construída em torno de um Ronaldo. Em 1994, havia dois deles. O Brasil, que passou a levantar o troféu, convocou um zagueiro com esse nome no último minuto, substituto devido a uma lesão tardia. Eles também convocaram um jovem atacante precoce para sua equipe, um jovem de 17 anos com um sorriso pateta, então conhecido como Ronaldinho.

Aquele Ronaldo júnior subiria rapidamente, Bola de Ouro na época da Copa do Mundo de 1998 na França, onde liderou o ataque do Brasil até que, no dia da final, sofreu convulsões repentinas, e inicialmente ficou fora de campo. alinhar. A decisão foi posteriormente revertida. Ronaldo “Fenomeno”, como também era conhecido, fez um jogo anônimo na derrota por 3 a 0 para a França, episódio que ficou para trás quando, apesar de um longo período de lesão antes do torneio de 2002, foi o artilheiro do o triunfo do Brasil na Coreia do Sul e no Japão.

Ainda há alguma discussão, principalmente da América do Sul sobre qual dos dois grandes Ronaldos, ambas lendas do Real Madrid, é o mais velho, e parte do caso a favor do brasileiro Ronaldo, à frente do português estão os fatos de seus dois Copas do Mundo. Medalhas de ouro da Copa. Ronaldo do Brasil foi um substituto que não jogou em 1994, mas o herói oito anos depois. Mas em 2006, ele seria completamente ofuscado por seu homônimo, ou CR7, o grande recorde de futebol do século 21.

Em novembro, este Ronaldo vai começar sua quinta Copa do Mundo, e há suspense: ele estará em forma? Ele vai justificar o seu lugar no onze titular de Portugal? Serão três meses desde seu aniversário de 38 anos, então é razoável supor que será o último. Se ele chegar até a semifinal, corresponderia ao seu melhor desempenho na última etapa do esporte; se ele se apresentar tão corajosamente quanto o dinâmico CR7, de 21 anos, fez em Munique naquela semifinal, uma derrota tênue para a França, seu país e o mundo que assiste lembrarão que este é um jogador de futebol que, se parecer o individualista definitivo às vezes é porque ele sabe que pode construir equipamentos por conta própria.

E se Ronaldo começar o torneio do Catar com o tipo de exibição enfática que deu início à Copa do Mundo de 2018, quando em seu fim de semana de estreia marcou um hat-trick contra a Espanha, seu técnico de Portugal, Fernando Santos, não terá que enfatizar, como Santos fez. antes do penúltimo encontro da sua equipa esta semana antes do grande evento, para os jogos da UEFA Nations League, que “ninguém deve duvidar que Cristiano Ronaldo continua a ser crucial para a selecção nacional”.

Portugal vence o Euro 2016

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.