Cuba recebe 100 milhões de dólares da China para ajudar a sobreviver à crise econômica

O anúncio da doação ocorre no momento em que o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, encerra uma visita a Pequim, parte de uma rara viagem ao exterior.

A China é o segundo maior parceiro comercial de Cuba depois da Venezuela. Ambas as nações são fortes aliadas políticas de Cuba. (arquivo AP)

A China doou US$ 100 milhões a Cuba para ajudá-lo a sobreviver a uma crise econômica incapacitante exacerbada pela pandemia de coronavírus, disse o vice-primeiro-ministro da ilha, Alejandro Gil.

O anúncio da doação no sábado ocorreu quando o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, encerrou uma visita à China, parte de uma rara viagem ao exterior.

O presidente chinês Xi Jinping e Díaz-Canel se reuniram nesta sexta-feira e “a oferta de uma doação de cerca de 100 milhões de dólares surgiu da China”, disse Gil à televisão estatal cubana.

Gil, que também é ministro da Economia de Cuba, disse que o dinheiro iria para “prioridades” na ilha, que foi abalada por sua pior crise econômica em três décadas.

Díaz-Canel encerrou sua visita à China na sexta-feira e continuou com uma turnê mundial destinada a angariar apoio para Cuba na renovação de um sistema elétrico que falhou repetidamente, causando blecautes frequentes.

Gil disse que os líderes dos dois países também discutiram “a questão da dívida” que Cuba tem com a China, mas não especificou o tamanho da dívida.

“Nosso presidente explicou a situação que estamos enfrentando e houve compreensão da China. Estamos procurando fórmulas mutuamente aceitáveis ​​para planejamento e reestruturação da dívida”, disse Gil.

O presidente chinês Xi prometeu apoiar os “interesses fundamentais” de Cuba em uma reunião com seu colega cubano na sexta-feira.

Em comentários a Diaz-Canel, Xi disse que a China espera “fortalecer a coordenação e a cooperação em assuntos internacionais e regionais” com Cuba. Os dois “andarão de mãos dadas no caminho da construção do socialismo com as próprias características um do outro”, disse Xi em um comunicado de imprensa do governo chinês.

laços crescentes

A visita de Diaz-Canel é mais um sinal de como a China está tentando impulsionar sua diplomacia pessoal após o fechamento virtual de tais bolsas durante a pandemia.

Diaz-Canel chegou à China depois de uma visita a Moscou, onde ele e o presidente russo, Vladimir Putin, elogiaram a “amizade tradicional” entre os países atingidos pelas sanções.

A China é o segundo maior parceiro comercial de Cuba depois da Venezuela. Ambas as nações são fortes aliadas políticas de Cuba.

No início de sua viagem, Diaz-Canel visitou a Argélia, onde o presidente Abdelmadjid Tebboune prometeu enviar combustível a Cuba, doar uma usina fotovoltaica e pagar juros de dívidas, disse Gil.

A viagem de Díaz-Canel também incluiria paradas em Türkiye.

Após o colapso da União Soviética, China e Cuba se aproximaram, assim como China e Rússia gradualmente estabeleceram laços mais calorosos.

Fonte: TRTWorld e agências

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *