Curitiba exige muito trabalho, mas Sesc-Flamengo vence a segunda mão da Superliga de vôlei | voleibol

O poder de investimento é bem diferente, mas o que se viu na quadra foi um grande equilíbrio entre Sesc-Flamengo e Curitiba. O time paranaense mostrou eficiência na defesa e inteligência tática, mas ainda não conseguiu vencer o favorito carioca. A equipe de Bernardinho venceu por três sets em dois (17/25, 25/16, 21/25, 25/22, 15/6).

Melhores momentos: Curitiba 2 x 3 Sesc-Flamengo, pela Superliga de Voleibol Feminino

O jogo de terça-feira é válido pela quarta rodada da competição e foi adiado devido à pandemia do coronavírus. Vários atletas da seleção carioca estavam doentes na data do duelo. Com a vitória, o Sesc-Flamengo sobe na tabela e continua sua tentativa de recuperação. Para Curitiba, a derrota por 3 a 2 garantiu um ponto precioso, que pode fazer a diferença na briga por uma vaga nas quartas de final da Superliga Feminina.

Milena era o principal nome do jogo. A dica de Curitiba foi boa do início até o quarto set. No quinto, ele parou como toda a equipe. Com 19 pontos ele ajudou muito a equipe local. Para o Sesc-Flamengo, a Lorenne se saiu bem, com 18 pontos. Mas o bloqueio foi a base sobre a qual o time carioca brilhou. Foram 17 pontos, com Valquíria marcando 7 deles. Decisivo no meio da rede.

Com a vitória, o Sesc-Flamengo sobe para a quinta colocação na tabela de classificação com 14 pontos. Curitiba segue em sétimo lugar, com sete pontos.

O Sesc-Flamengo volta a campo na próxima sexta-feira, contra o São José dos Pinhais. O jogo será às 19h (Brasília). Curitiba enfrenta o Fluminense no sábado, às 5 da tarde

Curitiba imediatamente mostrou que não seria fácil para o Sesc-Rio. No bloqueio de Milena sobre Ana Cristina, o time local abriu 4 a 0. Milena e Ivna brilharam muito no set e comandaram o ataque. Bernardinho pediu duas vezes para marcar o tempo, mas não conseguiu esfriar o ritmo acelerado do adversário, que fechou em 25-17.

Bernardinho mudou o time para o segundo set. Lorenne e Fabíola ocuparam o lugar de Gabiru e Juma. Em seguida, Ana Cristina mudou para o topo. Lorenne entrou muito bem e o bloqueio foi mais alto, dificultando o ataque de Curitiba. A mudança surtiu efeito e o Sesc-Flamengo abriu rapidamente por 6 a 2. O time local ainda conseguiu fazer alguns contra-ataques, mas não teve mais forças para conter o ataque carioca. Ana Cristina, nome da parcial, fechou o set em um ataque: 25 a 16.

Curitiba se ajustou melhor ao terceiro set. Já acostumada com a nova formação carioca, a equipe local continuou a se defender bem e voltou a buscar soluções no ataque, principalmente com Ivna e Lays. No momento contrário, a vantagem era de três pontos (12 a 9), que chegou a seis, de 21 a 15. Mas o Sesc-Flamengo reagiu e emocionou no final do set. Mas Milena foi a sangue frio explorar o bloco e fazer 25-22.

O quarto set começou como o mais equilibrado da partida. Ponto a ponto, as equipes não deixaram o rival abrir. O Sesc-Flamengo conseguiu abrir três, em 17 a 14, mas logo o Curitiba empatou. Na reta final, a equipe carioca impôs sua experiência. Em xeque, Juciely fechou o set em 25-21.

Empolgado, o Sesc-Flamengo deu início ao set decisivo com tudo. Principalmente Amanda, que fez dois pontos consecutivos e ajudou a abrir 7-2 no placar. Curitiba perdeu a calma e também começou a errar. Em um ataque de Juciely, o time carioca fechou em 15 a 6.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *