Da diversão ao confronto: Um estudante universitário local de 19 anos compete no campeonato brasileiro de esports

KITCHENER – Timmy Tran, um estudante de Kitchener de 19 anos, encontrou-se em São Paulo, Brasil, há uma semana, graças ao seu interesse em um videogame chamado Valorant.

Tram e uma equipe de quatro outros jogadores estavam competindo em um campeonato universitário de esportes eletrônicos, o Red Bull Campus Clutch World Finals, um torneio global para estudantes universitários com um prêmio total de cerca de US$ 30.000.

Tram disse que sua equipe venceu facilmente 16 outras equipes canadenses para entrar na competição mundial devido à sua prática dedicada.

“Estávamos muito determinados a vencer”, disse Tram, que nasceu e foi criado em Kitchener.

A competição foi realizada de 13 a 16 de dezembro com 48 equipes de vários países competindo em várias rodadas.

A equipe do Tram se saiu bem o suficiente para chegar ao Brasil, mas uma derrota para o Paquistão impediu a classificação para a final.

Dezesseis das 48 equipes foram para os playoffs para ganhar o prêmio em dinheiro, que acabou indo para a equipe dos EUA.

“Ainda estou um pouco chateado por ter perdido um pouco no início da competição, mas no geral acho que foi uma experiência incrível”, disse Tram.

As equipes vieram de todas as partes: os participantes incluíram equipes da Colômbia, Paquistão, Macedônia, Irlanda e Eslovênia.

Tram começou a jogar Valorant há apenas dois anos, logo após o lançamento do jogo em junho de 2020, como uma forma divertida de passar o tempo com os amigos. Eu estava competindo em competições de e-sports por cerca de um ano antes disso, jogando outro jogo chamado Counterstrike.

Mas quando foi abordado por outro jogador e aluno do Fanshawe College, James “ToastyUnicorns” Kim, sobre a competição brasileira, não podia perder a oportunidade de entrar em uma competição internacional.

“Foi um evento grande demais para perder”, disse Tram, que joga sob o nome de “Kip”.

A equipe de Tram, apelidada de “Team Big Pizza”, inclui outros estudantes de Ontário do Fanshawe College em Londres, da Universidade de Toronto e da Western University. O time jogou junto virtualmente. Tram havia competido com Kim no passado e conhecia dois de seus outros companheiros de equipe da comunidade Valorant no Twitter.

Como alunos, os membros da equipe tinham que praticar de 12 a 16 horas por semana entre as aulas e as tarefas.

Antes de competir no esports, Tram, um calouro no programa de TI, Inovação e Design do Conestoga College, esperava jogar atletismo, vôlei e futebol.

A pandemia frustrou essas esperanças, mas ele diz que os esports o entusiasmam de maneira semelhante.

“Jogar esports competitivos me dá a mesma adrenalina e energia como se estivesse jogando futebol ou atletismo”, Tram.

No Brasil, quando não estavam competindo, ele e seus companheiros faziam graffiti, iam a festas, exploravam a cidade e visitavam um museu do futebol local.

O bonde chegou ao Canadá no domingo.

“Acho que todo mundo realmente queria voltar para o frio”, disse ele. “Estava muito quente e úmido. Toda vez que terminávamos de tomar banho, imediatamente começávamos a suar.”

O trabalho escolar veio à tona novamente quando ele voltou para o Canadá. Tram fez um exame na segunda-feira e tem que fazer outro em janeiro.

Questionado se vai continuar a competir, não hesitou. “Definitivamente”, respondeu ele.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *