De acordo com o ranking da ONU, a Eslováquia é um país mais feliz do que no ano passado – Mundo – Notícias

O país mais feliz do mundo de acordo com o ranking é a Finlândia pela quarta vez consecutiva. A Eslováquia saltou do 37º para o 34º lugar no ano passado.

O coronavírus trouxe um ano de medo, ansiedade, doença, morte, solidão e fechamentos de quarentena, mas o Relatório Mundial da Felicidade sugere que a pandemia não sufocou as pessoas, de acordo com a agência AP.

Embora as emoções tenham mudado durante a pandemia, a satisfação com a vida a longo prazo foi menos afetada pela infecção, dizem os autores do relatório.

“Fizemos dois tipos de perguntas. Uma era sobre a vida em geral, chamamos de avaliação. Como é a sua vida? Outra é sobre humor, emoções, estresse, ansiedade”, disse um dos editores do documento, Jeffrey Sachs.

“Claro, ainda estamos no meio de uma crise profunda. Mas as respostas às avaliações de vida de longo prazo não mudaram significativamente (em comparação com o relatório anterior), embora a perturbação em nossas vidas tenha sido tão profunda.” Sachs, que disse que as pessoas mostraram grande resiliência no ano passado.

O relatório avalia 149 países ao redor do mundo com base em fatores como produto interno bruto, expectativa de vida, nível de corrupção, apoio social ou liberdade pessoal. Devido à pandemia, os autores do relatório deste ano realizaram pesquisas em menos de 100 países, e as avaliações para outros estados são baseadas em estimativas de dados anteriores, disse a AP.

Os países europeus acabaram ficando com nove dos dez primeiros, incluindo apenas a Nova Zelândia. A Finlândia mais uma vez provou ser o país mais feliz do mundo, seguida pela Dinamarca, Suíça, Islândia e Holanda. A República Tcheca avançou da 19ª posição no ano passado para a 18ª, enquanto nos últimos anos vem subindo no ranking. Em 2016, era 27º, um ano depois 21º, e no 20º ano antes, a Eslováquia terminou em 34º este ano, saltando de 37º no ano passado. Os países menos afortunados foram Afeganistão, Zimbábue, Ruanda, Botswana e Lesoto.

No longo prazo, de acordo com um economista da Universidade Columbia Sachsa, os residentes dos países do norte da Europa são os mais satisfeitos. Eles são regularmente colocados nos degraus da frente. “As pessoas se sentem seguras nesses países (…). Os governos são considerados confiáveis ​​e honestos, e existe uma grande confiança mútua “, acrescentou.

Você gosta deste artigo?
Apoie o jornalismo de qualidade.

O objetivo do Pravda diário e sua versão na Internet é trazer para você as notícias do dia a dia. Para poder trabalhar para você de forma consistente e ainda melhor, também precisamos do seu apoio.
Obrigado por qualquer contribuição financeira.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *