Destaque do Shakhtar critica atormentando o Inter e ri ao se lembrar de correr ao chegar ao clube

Na última semana, o Shakhtar Donetsk surpreendeu muitos fãs de futebol no Liga dos Campeões ganhando o Real Madrid, na Espanha, por 3 a 2, e levar o grupo B à liderança do torneio.

Nesta terça (27), pela segunda rodada da fase de grupos, a equipe receberá o Inter de Milan. E, em entrevista exclusiva com ESPN.com.br, o meio-campista Marcos Antônio nos contou sobre suas expectativas para o momento.

“Estou tranquilo, é um jogo difícil, mas temos que entrar em campo com o pensamento lá em cima para ganhar o jogo. E tentar impor nosso ritmo de jogo para vencer em casa”, disse.

O Inter não é um novo rival da seleção ucraniana. Em agosto, o Shakhtar foi derrotado pelos rivais italianos nas semifinais de Liga Europeia. Mas, segundo o brasileiro, o resultado não está mais na cabeça do elenco.

“Infelizmente, tivemos aquela derrota na Liga Europa, por uma pontuação muito alta. Mas amanhã [terça] é um jogo novo e você tem que tentar fazer um grande jogo para tentar ganhar ”, analisou.

Após a vitória sobre o Real Madrid, as expectativas da equipe aumentaram. Mas o objetivo é continuar tentando surpreender o torneio europeu.

“Foi uma surpresa. Na hora, enfrentamos o Real e conseguimos uma vitória que ninguém acreditou, essa é a verdade. Mas vamos trabalhar, que com ela possamos alcançar grandes coisas e surpreender muitos”, disse.

Marcos Antônio ingressou no Shakhtar em fevereiro de 2019 aos 18 anos. Mas a juventude não poupou o atleta de brincadeira com o resto do elenco e depois com o técnico Paulo Fonseca, numa espécie de batismo.

“Na minha, o treinador me fez algumas perguntas, mas eu não respondi na hora. Eu disse: ‘Não, vou ao vestiário fazer um estudo e depois te respondo’. Não dá para errar, aí acontece, fala algo errado e complica” , revelado, rindo, lembrando.

Na última sexta-feira (23), Marcos foi convocado pelo técnico André Jardine para estar com a seleção olímpica na próxima data da Fifa e falou sobre o sonho de disputar os Jogos Olímpicos de 2021.

“Trabalho muito, faço o meu melhor para estar sempre na selecção nacional. Sei como é difícil, muitos jogadores já usaram esta camisola. Mas estou a trabalhar. Estou na lista e fiquei muito feliz por ter sido lembrado. Por poder ajudar. mais para todos “, concluiu.

No Shakhtar Donetsk, Marcos disputou 48 partidas, marcou cinco gols e deu quatro assistências. Ele foi bicampeão da Ucrânia e uma vez da Copa da Ucrânia.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *